Debate presidencial de hoje deve maior audiência por ser em horário acessível

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2014 15h13
Montagem Eleições 2014 - candidatos a presidente

No comentário da manhã desta segunda, o comentarista político de Brasília, Fernando Rodrigues, analisa quais deverão ser as estratégias dos principais candidatos no debate de hoje, às 17h45, transmitido pela Jovem Pan ao lado de Folha de S. Paulo, SBT e UOL.

Esse horário vespertino é novidade na democracia brasileira e nunca houve uma discussão nessa faixa. Os debates costumam ser tarde da noite.

Agora, a discussão de ideias para o novo líder do país estará acessível a qualquer brasileiro, inclusive aos que vão acordar cedo na manhã seguinte. Com isso, os candidatos têm consciência de que falarão a um público mais amplo. 

E as estratégias já estão muito bem definidas nas campanhas e devem ser mantidas:

Marina Silva deve continuar a repetir a estratégia de se colocar como um rumo novo, que rompe a dualidade entre PT e PSDB, a qual perdura nos últimos 20 anos.

Os adversários, Aécio Neves e Dilma Rousseff, ambos ameaçados pelo crescimento de Marina, tentarão “desconstruir” a candidata do PSB, apontando o que seria vulnerável em sua candidatura. Devem dizer que há um desconhecimento sobre como seria, de fato, um eventual governo de Marina.

Deve ser um debate muito bom para ajudar os eleitores a ficarem mais esclarecidos sobre em quem devem votar no dia 5 de outubro, conclui Fernando.

Agenda

Como é de costume às segundas-feiras, Fernando relata também o que vai ser relevante no poder e na política nessa semana. Além do debate desta segunda, outro destaque deve ser o o chamado “esforço concentrado” no Congresso Nacional, o útltimo antes das eleições de outubro. Então, deputados e senadores votam apenas uma vez por mês,

Nas candidaturas presidenciais, a presidente Dilma deve ir, na quinta, a Recife, fazer campanha a Armando Monteiro Neto, candidato do PTB ao governo de Pernambuco, terra de Eduardo Campos.

Marina Silva será entrevistada nesta segunda à noite de hoje pelo Jornal da Globo, no início da madrugada de terça. Marina vai a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, falar com o setor agropecuário, na quinta-feira.

Aécio Neves estará no Senado na terça nesse esforço de concluir as pautas de votação. Na quarta, estará em São Paulo para tentar melhorar seu posicionamento nas pesquisas no maior colégio eleitoral do País.

O Ibope divulga pesquisas estaduais na terça e presidencial na quarta.

Datafolha também faz pesquisas para as duas ordens de governo nessa semana.

Na economia, o Copom divulga na quarta-feira nova taxa básica de juros e a expectativa é que tudo fique como está, por causa das tensões e indefinições eleitorais.

Na Justiça, o ministro Francisco Falcão toma posse presidente do Superior Tribunal de Justiça

Nova política?

Rodrigues também aponta algumas interrogações em relação ao discurso de Marina Silva como defensora da “nova política”, que supõe novas conexões com os eleitores e transparência.

O comentarista cita o caso do avião que caiu com Eduardo Campos e parte da equipe no dia 13. “É inacreditável que alguém, seja candidato ou partido, contrate um avião e não tenha documentos para explicar sua origem”, opina.

Além disso, Marina revelou no fim de semana que viveu nos últimos anos ganhando dinheiro por palestras. Marina ganhou R$ 1,6 milhão nos últimos três anos em 65 contratos firmados para 71 palestras.

Marina disse que prefere não revelar o nome das empresas que a pagaram, alegando que há uma cláusula de confidencialidade.

“Será que os militantes da Rede e os eleitores que hoje, legitimamente, querem votar em Marina Silva, deveriam ter o direito de saber quem pagou as contas de Marina nos últimos três anos?”, questiona Fernando.

Ouça os comentários no áudio acima.