Desalento dos eleitores beneficia políticos que já estão no poder

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2014 16h34

No final de seu comentário ao Jornal da Manhã desta segunda-feira, o comentarista políticao Fernando Rodrigues analisou pesquisa recente do Instituto DaraFolha que mostra que, se as eleições fossem hoje, 16% dos eleitores dizem que anulariam o voto ou votariam em branco. Rodrigues, como toda segunda, também informou a agenda política da semana, com destaque para os protestos em várias regiões do Brasil (Confira abaixo).

Sobre a pesquisa que mostra o desânimo do cidadão quanto às questões políticas, Fernando diz que “o brasileiro médio não está se enxergando nos partidos e nos políticos”. O número de 16% é um recorde absoluto nos 25 anos de pesquisas Datafolha para o mês de maio de anos eleitorais Em maio de 2010, apenas 6% diziam que iriam votar branco ou nulo.

Além disso, 61% dos eleitores rejeitam o voto obrigatório e 57% dos eleitores brasileiros não se dariam nem ao trabalho de votar, se pudessem.

“Quem se beneficia desse desalento dos eleitores são os políticos que já estão no poder”, diz Fernando. Isso porque “a oposição tem mais dificuldades de mobilizar seus eleitores sempre”. Portanto, o comentarista alerta que, se a pessoa quer mudanças, a atitude de não participar do processo eleitoral “vai mais ajudar a nada sair do lugar”.

Agenda

Dilma Rousseff viaja muito pelo País. Apenas nesta semana, vai a Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí. Ainda nesta segunda, a presidente visita Ipatinga para anunciar obras na BR-381. Também segunda, a Bahia recebe visitas de Aécio Neves, pré-candidato do PSDB a presidente da República, e Eduardo Campos, nome do PSB para o Palácio do Planalto.

Dias Toffoli assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral na terça. 

Lula também estará na Bagia inaugurando uma universidade ao lado do governador do Estado, Jaques Wagner

Terça, Campos (PSB) vai a um evento de lojistas em São Paulo. Ainda na terça, Gilberto Kassab, pré-candidato do PSB ao governo do Estado de São Paulo, e presidente do partido cujo apoio a Dilma é fundamental, participa de sabatina promovida pela Jovem Pan ao lado de outros veículos da imprensa: Folha de S. Paulo, Uol e SBT.

A transmissão pela rádio e pelo Portal Jovem Pan ao vivo. Mande sua pergunta ao ex-prefeito de São Paulo aqui.

Na quarta, Aécio e Campos devem participar em Brasília de um encontro de prefeitos em Brasília. No mesmo dia, no Congresso, espera-se que finalmente seja instalada a CPI da Petrobras.

Sobre o assunto cabeludo da empresa petrolífera, aliás, Guido Mantega, ministro da Fazenda, e o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, participam de audiências públicas na Câmara dos Deputados na quarta e na quinta.

O que mais deve marcar a semana, entretanto, são os grandes protestos.

Na quinta, há vários protestos de rua agendados em São Paulo: greve nos trens, protestos contra a Copa e passeata do MTST, o que deve atrapalhar e muito o trânsito na capital paulista.

Na quarta, ainda em São Paulo, haverá uma assembleia dos motoristas de ônibus para definir se realizarão greve ou não. Há motoristas ameaçando greve em Salvador também e policiais militares querendo cruzar os braços em Mato Grosso.

É uma “sensação geral de que o País vai estar fervendo nesses dias que antecedem a Copa do Mundo”, que ocorrerá em praticamente um mês. Todo esse fervor “mexe muito com o humor do cidadão e os políticos no poder serão os mais prejudicados”, avalia Fernando Rodrigues.

Pois “são eventos imprevisíveis sempre”. Políticos não têm “nada a ganhar nem muito a perder”. .Mas todos os governos perdem – prefeituras das cidades onde ocorrem os protestos, governos estaduais e até o federal. Os “políticos no máximo vão sair no 0x0”

É mais lenha na fogueira nesse sentimento geral do país de rejeição à política tradicional, constatada nos números da pesquisa Datafolha apresentados no início.