Dijsselbloem confirma acordo que amplia ajuda financeira à Grécia

  • Por Agencia EFE
  • 20/02/2015 19h08

Bruxelas, 20 fev (EFE).- O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, confirmou nesta sexta-feira que chegaram a um acordo com a Grécia para ampliar por quatro meses a ajuda financeira, e que o país se comprometeu a “um programa de reformas mais amplo”, que será apresentado na segunda-feira.

“Na quinta-feira recebemos uma solicitação para uma prorrogação de seis meses, mas nossa decisão é um prolongamento de quatro”, disse Dijsselbloem na entrevista coletiva logo depois da reunião extraordinária dos ministros de Economia e Finanças da zona do euro, realizada em Bruxelas.

Acrescentou que nesta reunião, que começou com várias horas de atraso, “se tratava de encontrar confiança entre nós. Esta noite demos um primeiro passo nesse longo processo de reconstruir a confiança”.

“Confirmo que o trabalho dos últimos dias foi útil, que o acordo foi fechado e que há uma declaração com os detalhes do acordo”, acrescentou o também ministro holandês de Finanças.

Ele assinalou que o acordo determina que a Grécia poderá fazer “a recapitalização do tecido bancário com os fundos disponíveis durante o período ampliado. A flexibilidade, como disse na segunda-feira, foi utilizada da melhor maneira possível”.

Dijsselbloem ressaltou que “esta conclusão positiva permitirá os desembolsos, sempre que se cumprirem os acordos prévios”.

Para chegar a este acordo, que ainda precisa da listagem na segunda-feira das reformas prometidas por Atenas, foram colocados “alguns compromissos adicionais pela Grécia, que deu aos seus colegas da zona do euro um acordo firme de que não descumprirá as medidas nem tomará medidas fiscais unilaterais”.

“A Grécia declarou hoje seu compromisso inequívoco de cumprir com todas suas obrigações”, acrescentou o presidente do Eurogrupo.

O comissário europeu de Assuntos Econômicos e Financeiros, o francês Pierre Moscovici, elogiou o acordo alcançado e assinalou que “estava absolutamente convencido que era necessário um acordo para a Grécia e para a zona do euro”.

“Já disse (antes de começar a reunião) que chegar a um acordo era possível se todo mundo tivesse um enfoque razoável, sendo lógicos e não ideológicos”, ressaltou.

Moscovici acrescentou que a partir de agora as equipes trabalharão para ter o acordo fechado na segunda-feira para que os parlamentos de alguns países que exigem esse passo aprovem a ampliação da prorrogação da ajuda financeira à Grécia, que expira no próximo dia 28 de fevereiro.

emm-cai/cd