Estado Islâmico impõe censura prévia em zonas sob seu controle na Síria

  • Por Agencia EFE
  • 01/08/2014 09h04

Beirute, 1 ago (EFE).- O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) impôs censura prévia a todas as informações que sejam enviadas desde as zonas que controla na província síria de Deir ez Zor, fronteiriça com o Iraque, afirmou nesta sexta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Segundo a ONG, os extremistas se reuniram ontem à noite com os ativistas que operam na zona e informaram sobre suas normas.

Os ativistas que informarem no terreno devem reconhecer e jurar lealdade ao “califado”, proclamado no final de junho pela organização radical na Síria e Iraque.

Além disso, devem admitir a existência do EI com todas suas denominações, como “a Organização do Estado” ou “Daish”, como se nomeia às vezes em árabe.

Outra das instruções é que deixem de trabalhar para canais de televisão, embora seja permitido enviar fotografias e notícias às agências de notícias.

Em qualquer caso, todas as fotos, notas escritas e material televisivo que saírem da zona deverão obter primeiro a aprovação do escritório de informação do EI.

Nos últimos dias, este grupo impôs restrições à vestimenta das mulheres e proibiu a venda de tabaco em Deir ez Zor, cujo território controlam em grande parte, menos algumas áreas em mãos das autoridades sírias.

Ontem à noite, os radicais fecharam um canal local de televisão por satélite na capital homônima da província e se levaram toda sua equipe. Além disso, se enfrentaram aos soldados governamentais no bairro de Al Hueiqa.

Enquanto isso, na província vizinha de Al Hasaka, o Exército, apoiado pelas Forças de Defesa Nacional -milícias civis pró-governo-, conseguiu avançar frente aos jihadistas.

O EI se recuou de vários lugares situados ao sudeste da cidade de Al Hasaka, depois que os militares recuperassem as povoações de Al Hamar e Al Salalia. EFE