Ex-diretor da Petrobras diz a jornal que refinaria Abreu e Lima foi projetada a partir de “conta de padeiro”

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2014 12h42

Dilma Rousseff e Eduardo Campos (de braços cruzados) visitam obras da refinaria Abreu e LimaDilma Rousseff e Eduardo Campos visitam obras da refinaria Abreu e Lima

Em entrevista à Folha de São Paulo, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que a Petrobras planejou a obra da refinaria de Abreu e Lima em Pernambuco fazendo conta de padaria.

Fernando Rodrigues, comentarista político da Jovem Pan, diz que a frase terá repercussão mais política do que do ponto de vista da investigação.

A tendência é de que seja tudo abafado na CPI “chapa-branca”. Mesmo assim, o que Costa disse pode ser considerado uma declaração “muito forte”.

Apesar de que a gente tem que fazer as ressalvas necessárias, diz Fernando Rodrigues. O ex-diretor da Petrobras está sob forte pressão, pode voltar à cadeia e faz declarações para jogar a culpa nos outros.

O custo inicial da refinaria Abreu e Lima era de R$5,6 bilhões, mas a obra deverá custar cerca de R$ 41,5 bilhões.

A frase bate na imagem da presidente Dilma e do seu governo, que sempre se apresentou com grande capacidade gerencial, grande gestora, diz Fernando.

“É difícil de explicar, mesmo que não tenha havido má-fé, houve muita incapacidade gerencial, muita incompetência do Governo”, avalia.

Todos esses fatos, porém, serão amplificados mais adiante durante a campanha eleitoral.