Felipe Moura Brasil: Bolsonaro surfa sua onda, enquanto Haddad e Ciro se desesperam

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 04/10/2018 09h36
Valter Campanato/Agência BrasilEnquanto Ciro e Haddad se desesperam, Bolsonaro vai surfando sua onda

O Ibope mostrou Jair Bolsonaro com 32% de intenções de voto contra 23% de Fernando Haddad. A pesquisa foi feita na segunda e na terça: portanto, em parte, um pouco antes do levantamento do Datafolha, feito inteiramente na terça.

Ou seja: Haddad pode estar mais próximo dos 21% que teve no Datafolha que desses 23% que atingiu no Ibope, embora a diferença seja irrelevante.

A pesquisa serviu mais foi para reduzir as esperanças de Ciro Gomes, que ficou com 10%, e enterrar as candidaturas de Geraldo Alckmin, 7%, e Marina Silva, 4%.

Embora Bolsonaro esteja com 38% dos votos válidos no Ibope, ou seja, excluindo-se nulos e brancos, o alerta de possível derrota no primeiro turno segue aceso no PT, mas a campanha de Haddad ainda não sabe como frear a “onda conservadora” e a rejeição a Haddad, que atingiu 41% no Datafolha, tendo crescido nove pontos no total, sendo 10 entre as mulheres e 12 entre os evangélicos.

Diante do crescimento do antipetismo, até o ex-ministro Gilberto Carvalho e Ciro Gomes admitiram o que analisei aqui na segunda-feira: que o movimento “Ele Não” fortaleceu o “Ele Sim”.

Ciro disse, na primeira pessoal do plural, que – aspas – “quando demos a ideia de ‘ele não’ acabamos trazendo uma polarização que não ajuda nossa causa”. Fecho aspas.

Ué, Ciro, a ideia não foi das mulheres? Ou foi de um macho, branco, linha auxiliar do PT, que declarou 1 milhão e 700 mil reais de patrimônio à Justiça Eleitoral?

A propósito: o que ajuda a causa, afinal? Chamar Bolsonaro de “nazista filho da puta”? Dizer que o discurso nazista é forte no Sul? Ou agredir entrevistadores?

Enquanto Ciro e Haddad se desesperam, Bolsonaro vai surfando sua onda.

Após um homem preso por estupro da cunhada e denunciado pelo estupro da filha de 13 anos ter saído da cadeia e matado essa filha a facadas, o maior concorrente do poste de um presidiário aproveitou para mostrar no Twitter que é linha dura com bandidos de qualquer escalão.

Aspas: “Somos o país da impunidade. Desde candidatos que querem soltar corruptos, a bandidos, estupradores e assassinos que são soltos em audiências de custódia, saidões da cadeia, indultos, etc. Não há vítima da sociedade. A SOCIEDADE É A VÍTIMA! Se depender de nós, ISSO VAI ACABAR!” Fecho aspas.

O PT sempre pode fazer o diabo para ganhar a eleição, especialmente em eventual segundo turno, mas, se Bolsonaro souber manter esse tom, atendo-se, repito, às posições seguras que sustentaram sua campanha até aqui, tem tudo para ser eleito.