Gleisi convoca fiéis da seita petista para nova romaria

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 04/05/2018 10h31 - Atualizado em 04/05/2018 10h53
Geraldo Magela/Agência SenadoÉ a segunda vez que entidade católica reage à exploração petista da fé

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, convocou os fiéis da seita petista para uma romaria a Aparecida, no próximo dia 20.

O objetivo, segundo ela, é “expressar nossa fé e pedir pela liberdade” de Lula.

O Santuário Nacional de Aparecida não gostou e divulgou uma nota que diz o seguinte:

“O Santuário é um espaço sagrado que acolhe todos os filhos e filhas de Nossa Senhora Aparecida, sem distinção. Da mesma forma, também é uma casa que se coloca contra toda e qualquer utilização do seu espaço para fins políticos ou ideológicos.”

De acordo com o texto, o santuário não se posicionará, em nenhuma hipótese, “em favor de quaisquer líderes políticos, refutando toda e qualquer iniciativa que queira utilizar-se do Altar da Eucaristia para fins de promoção individual ou partidária”.

É a segunda vez, em menos de um mês, que uma entidade católica reage à exploração petista.

Em 8 de abril, a arquidiocese de São Paulo havia divulgado uma nota sobre o showmício de Lula no dia 7, em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, chamado de missa pelo PT.

Dom Odilo Scherer, papável no conclave que elegeu Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, havia esclarecido o seguinte:
“1. Não se tratou de Missa, mas de um ato ecumênico;
2. Foi iniciativa pessoal de quem promoveu o ato;
3. Não houve participação da CNBB nem da arquidiocese de São Paulo;
4. O ato aconteceu fora da jurisdição e responsabilidade do arcebispo e da arquidiocese de São Paulo.”
Dom Odilo disse, ainda, que “lamenta a instrumentalização política do ato religioso”.

O petismo é sempre lamentável.