Lula não consegue sequer unir sua equipe de defesa

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 25/06/2018 08h33 - Atualizado em 25/06/2018 10h37
EFE/Hedeson AlvesLula terá tempo de sobra na cadeia para bolar uma estratégia de defesa contra sua própria defesa também

Lula não consegue unir nem sua própria equipe de advogados.

Sepúlveda Pertence, seu representante de Brasília, pediu ao STF prisão domiciliar ao petista como alternativa, caso a Segunda Turma não o soltasse. Cristiano Zanin, seu defensor de São Paulo, divulgou nota para afirmar que a defesa de Lula não pediu a prisão domiciliar.

Zanin alegou que Lula está pedindo aos tribunais superiores “o restabelecimento de sua liberdade plena, porque ele jamais praticou qualquer ato ilícito”.

Assim sendo, nota-se que Zanin considera o pedido de prisão domiciliar um reconhecimento do crime de Lula no caso do triplex do Guarujá.

Resultado: abriu-se uma guerra na defesa do petista e por pouco Pertence não saiu, segundo o Painel da Folha.

Um grupo de advogados e a direção do PT foram acionados para evitar ruptura. Um racha entre Pertence e Zanin, segundo dirigentes petistas ouvidos pelo jornal, seria muito prejudicial para Lula.

Aparentemente, no entanto, o racha já existe, Pertence não discute estratégias com Zanin e os dois mal se falam.

Mas Lula nem precisa ter pressa em definir com os dois se quer ou não a prisão domiciliar como alternativa.

Depois que o ministro Edson Fachin arquivou seu pedido de liberdade e cancelou o julgamento que estava previsto para amanhã na Segunda Turma do STF, Lula terá tempo de sobra na cadeia para bolar uma estratégia de defesa contra sua própria defesa também.