Furacão “Blanca” toca terra e põe em alerta vermelho o noroeste do México

  • Por Agencia EFE
  • 08/06/2015 16h45

Cidade do México, 8 jun (EFE).- O furacão “Blanca” tocou terra nesta segunda-feira na Península de Baja California, cuja parte meridional se encontra em alerta vermelho (perigo máximo), informou o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

Às 10h15 (hora local, 12h15 de Brasília) o furacão se encontrava em terra a 35 quilômetros oeste-noroeste de Ciudad Constitución e a 45 quilômetros ao nordeste de Cabo San Lázaro, no estado de Baja California Sur.

“Blanca” se desloca no sentido nor-noroeste a 24 quilômetros por hora, acompanhado por ventos sustentados de 65 km/h e sequências de até 85 km/h, indicou o SMN em comunicado.

O Sistema Nacional de Defesa Civil declarou em alerta vermelho o centro e o sul de Baja California Sur, e em laranja (perigo alto) o norte desse estado, o sul de Baja California, o sudoeste de Sonora e o norte de Sinaloa.

Em alertas mais leves se encontram o norte de Baja Califórnia e de Sonora, o resto de Chihuahua, e todo o território de Durango, Nayari, Jalisco e Colima.

O Serviço Meteorológico mantém uma zona de prevenção por efeitos de tempestade tropical de La Paz a Loreto, e de Santa Fé a Punta Abreojos, assim como uma zona de vigilância por tempestade tropical de Loreto a Mulegé, em Baja California Sur.

A ampla circulação do furacão gera “potencial de chuvas pontualmente intensas (75 a 150 milímetros), acompanhadas de tempestades elétricas, ventos muito fortes e ondas elevadas de até seis metros de altura em Baja California Sur e Sonora.

Também pode causar precipitações muito fortes (50 a 75 milímetros) em Sinaloa, Chihuahua e o sul de Baja California, assim como fortes (25 a 50 milímetros) em Durango.

Segundo a previsão, “Blanca”, que em dias anteriores alcançou duas vezes a categoria 4 na escala de furacões Saffir-Simpson, perderá força esta noite e se tornará depressão tropical quando se encontrar 65 quilômetros ao leste de Punta Abreojos.

Por outra parte, uma zona de instabilidade ao sul do Pacífico, com um potencial de 30% para evoluir até ciclone tropical nos próximos dois dias, favorece a entrada de umidade nos estados do sudeste do México como Oaxaca, Chiapas e Tabasco.

Os especialistas preveem a formação de 19 ciclones na temporada de 2015 no Pacífico, 40% a mais que a média histórica, dos quais quatro seriam furacões intensos (categorias 3, 4 e 5) e sete fortes (1 e 2). EFE

jmrg/rsd