Governo argentino questiona exibição de sexo na Universidade de Buenos Aires

  • Por Agencia EFE
  • 02/07/2015 12h06

Buenos Aires, 2 jul (EFE).- O ministro da Educação da Argentina, Alberto Sileoni, criticou nesta quinta-feira a exibição de sexo explícito realizada na faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires (UBA).

As imagens da performance que circulam pelas redes sociais mostram pessoas nuas em cima de mesas e duas mulheres que utilizam um microfone como brinquedo erótico.

“Isso não pode ser feito em âmbito acadêmico, não é próprio”, disse Sileoni à “Radio América” ao ser perguntado sobre a mostra “Posporno – Quarta-feira de prazer” organizada pelo setor de Comunicação, Gênero e Sexualidades da universidade.

Segundo os organizadores, a proposta era ampliar o imaginário e experimentar outras formas de habitar o espaço universitário.

No entanto, o ministro da Educação afirmou que a exibição realizada ontem não ajuda a transmitir o que pretendia.

O reitor da UBA, Alberto Barbieri, garantiu que os responsáveis terão que dar explicações sobre o caso e disse que “o grau de aceitação (do sucedido) é mínimo na própria comunidade”.

O Centro de Estudantes da UBA também criticou a ação e emitiu um duro comunicado para denunciar que os participantes não limparam as mesas “e deixaram preservativos usados acompanhados de bilhetes contra o Centro e a gestão”. EFE