Governo de Dominica cifra em 20 os mortos pela passagem da tempestade Erika

  • Por Agencia EFE
  • 28/08/2015 13h39

San Juan, 28 ago (EFE).- O primeiro-ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit, elevou nesta sexta-feira para 20 o número de mortos nesse território pela passagem da tempestade tropical Erika, segundo um balanço provisório e enquanto continuam os trabalhos de resgate de desaparecidos.

Skerrit disse em uma declaração televisiva que a destruição deixada pela passagem de Erika pelo pequeno território caribenho foi de “proporções épicas”.

O chefe do Executivo indicou que o número de mortos segue aumentando à medida que as equipes de resgate da Venezuela, Trinidad e Tobago e as vizinhas ilhas francesas chegam para ajudar no salvamento e limpeza da zona.

“A área mais afetada é Petite Savanne, no sudeste, onde até 20 pessoas podem ter morrido”, disse Skerrit.

Skerrit destacou que há pessoas desaparecidas em diferentes áreas de Dominica.

“O governo francês está nos ajudando em missões de busca e resgate em Petite Savanne”, disse o funcionário.

Skerrit indicou que a equipe francesa já transferiu de helicóptero equipes médicas à zona.

“Nossa principal preocupação é com as pessoas e mais adiante analisaremos os danos causados às infraestruturas”, ressaltou, após dizer que todos nossos esforços se centram agora na localização de cada um dos cidadãos que desapareceu.

A Organização de Estados do Caribe Oriental, com sede em Santa Lúcia, anunciou que mobiliza apoio para ajudar na situação que vive Dominica pela passagem da tempestade tropical Erika.

Um porta-voz da Agência de Gestão de Emergências e Desastres de Caribe (CDEMA, em inglês), com sede em Barbados, informou hoje à Agência Efe que entre 25 e 30 pessoas desaparecidas estão sendo proucuradas na ilha de Dominica, a mais castigada pela passagem da tempestade tropical Erika na região.

Erika não causou danos destacáveis no resto de ilhas do Caribe oriental.

A tempestade tropical Erika, que passou por Porto Rico, já se dirige rumo à República Dominicana, onde espera-se que chegue durante o dia de hoje, para entrar nos EUA pela península da Flórida na segunda-feira sem a força de furacão. EFE