Governo está conseguindo procrastinar a instalação da CPI da Petrobras

  • Por Jovem Pan - Brasília
  • 10/04/2014 15h30

Senadores Gleisi Hoffmann Antonio Cruz/Agência Brasil Gleisi Hoffmann

A votação do plenário do senado sobre a CPI da Petrobras ficou para semana que vem. Fernando Rodrigues, comentarista Jovem Pan, diz que as previsões mais realísticas em Brasília, porém, é que o assunto seja resolvido só depois da páscoa, na última semana deste mês. “Mas, alto lá, pode ainda haver algum atraso”, diz Fernando.

Nesta quarta, houve uma manobra muito bem articulada pelo Palácio do Planalto. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) definiu que haveria uma CPI ampla, que envolvesse não só o caso da Petrobras em Pasadena, mas também de atos em corrupção em Minas e Pernambuco, para atingir pré-candidatos de oposição, Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE).

É preciso ainda votar no plenário do senado o que na comissão foi decidido. Mas a definição ficou para semana que vem, com a generosidade de Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente da Casa.

É possível que até lá saia alguma notícia no STF sobre as duas ações protocoladas contra a CPI da petrobras, uma contra e uma a favor, uma do governo e uma da oposição.

Ou seja, o Governo está conseguindo procrastinar a instalação da CPI da Petrobras, até que ela morra na “Copa do Mundo” e, logo depois, as eleições de outubro.

Fernando Rodrigues avalia que essa é uma vitória política do Governo, que sai sem um grande desgaste, sem nenhuma investigação instalada e espera pela semana que vem para saber se haverá decisão do Supremo ou votação no Plenário.