O que Stephen Hawking e a Bíblia dizem em comum?

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2018 13h06 - Atualizado em 03/05/2018 13h09
NASAEstrelas fotografadas pelo telescópio Hubble

O último trabalho recentemente publicado do falecido físico Stephen Hawking, ao lado de Thomas Hertog, conclui que o universo no qual vivemos é finito.

Eles fazem uma conclusão apocalíptica terrível, diz Joseval Peixoto.

Segundo Hawking, nosso universo continuará se expandindo e terminará se dissolvendo na escuridão, quando todas as estrelas esgotarem sua fonte de energia. E o sol é uma estrela.

Isso é quase a reprodução, diz o comentarista, do texto bíblico do Apocalipse, que diz: “houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua tornou-se como sangue; E as estrelas do céu caíram sobre a terra” (Apocalipse 6:12,13)

A vida tem limite. Um dia a vida se cansa da própria vida e se despede em silêncio no dia de nossa morte, diz Joseval.

Mas nós estamos aqui.

Joseval cita ainda trecho do discurso de Jesus a seus discípulos no Sermão da Montanha, presentes nos capítulos 5, 6 e 7 de Mateus, que diz:

“Não vos preocupeis com o dia de amanhã. Cabe a cada dia o seu próprio mal”.