Marco Antonio Villa: Investigação de caixa 2 ‘não afetará’ Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2018 09h22 - Atualizado em 20/10/2018 10h33
Jovem PanComentarista acredita que pode reaver paz depois do segundo turno entre os brasileiros

Ao Jornal da Manhã deste sábado, 20, o comentarista da Jovem Pan, professor Marco Antonio Villa, disse que a investigação de caixa dois contra o presidenciável Jair Bolsonaro não afetará sua candidatura, pois “não há provas” e não tem como vincular as empresas que impulsionaram mensagens de Whatsapp contra o PT ao presidenciável.

“Primeiro é necessário as provas e até o momento elas não foram apresentadas, se é que existem. Por enquanto, não passam de boatos e creio que boatos não devem ser apreciados pela justiça”, disse o comentarista.

Villa lembrou também que depois de apresentadas as provas, uma ação penal seria aberta e, no ritmo normal, demoraria 2 anos para ter um resultado. “Se não tem provas, não tem caixa 2, não tendo caixa 2, tem eleição no dia 28 de outubro e as pessoas já sabem qual será o resultado, quem será presidente do Brasil por uma grande margem de diferença”.

O historiador acredita ainda que, depois do segundo turno da eleição, pode reaver paz entre os grupos familiares que foram “destruídos” por opiniões políticas divergentes e que todos nós “moramos no mesmo país, independente de quem votar em Bolsonaro, Haddad, nulo ou não comparecer na cabine eleitoral”.

Ele também comentou sobre a frase dita pela procuradora geral da República, Raquel Dodge, ao se posicionar contra possíveis entrevistas do ex-presidente Lula para a imprensa. Para Marco Antonio Villa, “ela está absolutamente correta, ele é um presidiário e cidadão brasileiro que deve cumprir a pena como todo brasileiro. É uma entrevista de cabo eleitoral que só vai servir para criar uma tensão eleitoral”.