Marco Antonio Villa: Voto anti-PT poderia ser do PSDB se candidato fosse outro

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2018 10h31 - Atualizado em 19/09/2018 11h13
Jovem PanO PSDB lançou o pior candidato que poderia para esse enfrentamento

Em seu destaque final do Jornal da Manhã desta quarta-feira, 19, o historiador Marco Antônio Villa fez uma análise do cenário eleitoral após a última pesquisa Ibope, divulga na terça-feira, 18.

Na visão de Villa, é  preciso discutir a questão conjuntural para saber como Brasil chegou a esse buraco. “Como Bolsonaro monopolizou o discurso anti-PT? O que ele fez corretamente para que estivesse à frente em relação aos outros no seu campo político-ideológico?”, questiona. “Não foi falado que ele não está em campanha, mas segue hospitalizado. Ele mantém a liderança e ganha pontos sem fazer campanha. Quando você consegue captar votos sem falar, você é um fenômeno. Como é possível?”

Para Villa, o PSDB lançou o pior candidato que poderia para esse enfrentamento. Alckmin quis, a todo custo, ser o candidato do partido. “As outras lideranças eram frágeis. Mas havia uma candidatura que poderia entrar nesse campo político-ideológico, que era João Doria. Naquele momento, Doria tinha condições de ser candidato viável, mas o PSDB fechou as portas para ele”, afirma.

O voto anti-PT poderia ter sido do PSDB, mas o partido não quis assumir isso.

Confira o comentário completo de Marco Antonio Villa: