Monetarizar e vincular fé com política é terrível

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2018 11h07 - Atualizado em 01/06/2018 13h52
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOPresidente Michel Temer disse que recebeu chamado de Deus ao comparecer à reunião de uma igreja evangélica

A mistura de fé e política é terrível. Cria regimes teocráticos, como por exemplo, no Irã.

Isso costuma dar errado em qualquer país do mundo. No Brasil, também.

Em Brasília, o presidente Michel Temer compareceu à reunião de uma igreja evangélica e disse que lá foi por ter recebido um “chamado” de Deus.

É inacreditável a cara de pau. É um enorme desrespeito com os fieis.

Não há nenhuma fé. É puro aproveitamento político.

Em São Paulo, a mesma coisa. O terrível é o oportunismo político de pastores, candidatos e apóstolos. Agora tem apóstolo em todo lugar. Todo mundo é apóstolo, mas na base monetária.

Monetarizar a fé é terrível. Assim como vinculá-la à política.

Candidatos à presidência, ao governo do estado, deputados, senadores, foram patéticos no seu comparecimento. Assim como o conjunto da suposta Marcha Para Jesus, que no fim mostra como querem instrumentalizar a fé.

Ainda bem que no Brasil ninguém leva nada a sério.

Assista ao comentário completo: