Reforma política é conversa fiada e 2018 será uma enorme decepção

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2017 07h41
BRA100. BRASILIA (BRASIL), 12/04/2017 - Vista general de la Cámara de Diputados vacía hoy, miércoles 12 abril de 2017, en Brasilia (Brasil). Las investigaciones autorizadas por supuesta corrupción contra ocho ministros y decenas de legisladores de 14 partidos abrieron hoy otra fase de la aguda crisis política brasileña y dejaron contra la pared al Gobierno de Michel Temer. Además de ocho ministros y decenas de parlamentarios, en la lista de sospechosos están 12 de los 27 gobernadores del país y los cinco expresidentes brasileños vivos: José Sarney (1985-1990), Fernando Collor de Mello (1990-1992), Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) y Dilma Rousseff (2011-2016). EFE/Joédson AlvesToda aquela discussão é muito barulho para nada, diz Marco Antonio Villa

Câmara dos Deputados rejeita mudanças no sistema eleitoral brasileiro e adia decisão sobre o fim das coligações partidárias.

Nesta quarta-feira (20), os parlamentares tentam aprovar outros pontos da reforma política, como a criação de um fundo público para o financiamento de campanhas.

“Isso é um remendo. Toda aquela discussão é muito barulho para nada. Provavelmente terá a cláusula de desempenho e o fim das coligações, mas vai ficar nisso. Tudo conversa fiada, vai ser uma frustração. 2018 vai ser uma enorme decepção, com um Congresso, na essência, a mesma porcaria”, diz Marco Antonio Villa.

Assista ao comentário completo: