Villa: Brasil pode afetar comércio exterior se tomar atitude impensada sobre ataque ao Irã

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2020 08h09 - Atualizado em 06/01/2020 08h15
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoO Irã anunciou o fim do limite no enriquecimento do urânio

Donald Trump diz que só vai retirar tropas americanas do Iraque se governo local pagar por base militar construída no país. Essa foi a resposta do presidente americano ao parlamento iraquiano, que aprovou uma resolução determinando a retirada de todos os militares estrangeiros.

Além disso, o Irã anunciou o fim do limite no enriquecimento do urânio. Dessa forma, o país também vai elevar os estoques do material – abandonando de vez o acordo nuclear assinado em 2015.

“No calor da hora, é difícil fazer análise das consequências do gravíssimo incidente que ocorreu no Iraque. A primeira questão é que não sabemos quanto tempo isso vai durar na extensão temporal. Se vai durar o mês de janeiro, 2020 ou anos. Segundo, não sabemos a extensão geográfica. Se ficará restrito ao golfo pérsico, ao Oriente Médio ou mundial.

O que se sabe até o momento é que Donald Trump é aliado dos mais reacionários do Irã — que agradeceram o ataque que ele fez. Em novembro de 2019, a oposição ao governo dentro do próprio país foram às ruas e tiveram 200 mortos. A pressão popular pela democracia é muito grande. Com um ato como esse, o país se une contra os EUA.

Segundo fator é a questão nuclear. O acordo de 2015 é excelente e estava sendo cumprido com vigilância internacional e agora jogou água no moinho dos reacionários — que vão fazer a bomba atômica.

Terceiro fator: o Irã se tornou um grande líder da região e do antiamericanismo. Portanto, foi um desastre a ação norte-americana e criou um problema gravíssimo que ninguém sabe onde vai terminar.

Para o Brasil isso é horroroso, é péssimo. O Brasil precisa de paz e estabilidade internacional para crescer importações e receber capitais. O Brasil tem que manter neutralidade. O Irã compra R$ 2 bilhões por ano daqui. Se o Brasil tomar uma atitude impensada, ele poderá prejudicar o seu comércio exterior.

Por fim, não menos importante, é tomar cuidado para não atrair o terrorismo internacional para as nossas fronteiras.”