Na Itália, Hamilton tentará deixar Rosberg ainda mais distante na tabela

  • Por Agencia EFE
  • 03/09/2015 15h20

Redação Central, 3 set (EFE).- O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, vai em busca neste fim de semana, da sexta vitória consecutiva no Campeonato Mundial de Fórmula 1, duas semanas após levar a melhor sobre o companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg, na Bélgica.

No circuito de Spa-Francorchamps, o vice-líder da classificação de pilotos voou baixo nos treinos livres, mas o ponteiro da tabela fez a pole position e venceu a corrida de maneira soberana, chegando aos 227 pontos, abrindo 28 para o grande concorrente.

Em Monza, também característico pela alta velocidade, a Mercedes espera repetir a supremacia conseguida na Bélgica, que ficou ainda mais intensa, devido ao rendimento ruim dos carros da Ferrari e da Williams, segunda e terceira colocadas, respectivamente, no Mundial de Construtores.

No GP da Itália, Hamilton ainda vai atrás de uma marca especial. Caso vença mais uma vez, subirá pela 41ª vez ao topo do pódio, se igualando a Ayrton Senna, ídolo declarado do britânico. O alemão Sebastian Vettel é outro com o mesmo número de vitórias acumuladas na categoria.

A primeira colocação na prova, ainda representará o aumento da vantagem para Rosberg em, pelo menos, sete pontos, o que poderia levar a distância entre os dois para 35. Vale lembrar, que a cada prova, 25 pontos são colocados em jogo.

Terceiro na tabela, Vettel viu a escalada para entrar na briga pelo título ser encerrada por causa de um pneu furado, depois do terceiro lugar em Silverstone e da vitória em Hungaroring. O alemão caminhava rumo ao último lugar do pódio, quando sofreu problema e ficou fora da zona de pontução.

Atualmente com 160 pontos, o piloto da Ferrari poderia estar com 175, um pouco mais próximo das duas Mercedes. Ao menos, a distância para o companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen, é 78 pontos.

O “Homem de Gelo”, por sua vez, pode ser ultrapassado e perder o quarto posto na tabela neste fim de semana. Com 82 pontos, o piloto está empatado com Felipe Massa, sexto colocado no Grande Prêmio da Bélgica.

O brasileiro deverá correr ainda mais motivado, já que foi confirmado nesta quinta-feira como piloto da Williams por mais uma temporada. Em 2016, pelo terceiro ano consecutivo, ele formará dupla com o finlandês Valteri Bottas.

Felipe Nasr, da Sauber, por sua vez, vai atrás do retorno à zona de pontuação. O piloto está zerado desde o GP de Mônaco, quando foi nono colocado. Depois disso, ele não foi além do 11º lugar, nas provas na Áustria, Hungria e Bélgica.

Quem deverá viver novo drama na Itália é a dupla formada pelo britânico Jenson Button e o espanhol Fernando Alonso, que na etapa passada foram punidos com perda de posição no grid de largada, que somadas as sanções de ambos, chegou a 105 postos.

A Honda pretende utilizar o nono motor da temporada, conforme publicou nesta quinta-feira a revista “Autosport”, assim, os pilotos da McLaren voltariam a perder postos.

As sanções que a dupla da escuderia inglesa recebeu por substituição das unidades de potência, não foram cumulativas, por isso, o Button largou em penúltimo e Alonso em último na prova realizada em Spa-Francorchamps.

As atividades no circuito de Monza começarão nesta sexta-feira às 5h (horário de Brasília), com o primeiro treino livre. A definição do grid de largada será a partir das 9h de sábado, mesmo horário da corrida, que será no domingo. EFE