Novas pesquisas eleitorais e fala na CPI da Petrobras devem agitar a semana política

  • Por Jovem Pan - Brasília
  • 25/08/2014 16h48
RECIFE, PE, 23.08.2014: ELEIÇÕES 2014/MARINA SILVA - A candidata à Presidência Marina Silva (PSB) faz no Recife seus primeiros atos de campanha, ao lado do seu vice, Beto Albuquerque, , no bairro de Casa Amarela, zona norte de Recife (Foto: Anderson Stevens/Eleven/Folhapress)A candidata à Presidência Marina Silva (PSB) faz no Recife seus primeiros atos de campanha.

Fernando Rodrigues, comentarista político da Jovem Pan em Brasília, divulga a agenda política semanal e destaca a possibilidade de denúncias em novo depoimento de Paulo Roberto Costa à CPI da Petrobras e novos dados eleitorais na disputa ao Palácio do Planalto.

Agenda

O ponto alto da semana será as pesquisas presidenciais de intenção de voto, porque houve um tempo para os eleitores ficarem mais informados acerca da entrada de Marina Silva na disputa. Datafolha e Ibope divulgarão seus números.

Outros destaques são o primeiro debate presidencial e o lançamento do programa de Marina Silva.

Aécio Neves fez caminhada no Rio de Janeiro nesta segunda e amanhã se prepara pára o debate. Políticos em campanha devem fazer uma pausa, sobretudo em São Paulo, por conta do velório de Antônio Ermírio de Moraes.

Ainda nesta segunda, os candidatos ao Palácio do Bandeirantes debaterão nos estúdios do SBT em São Paulo, com cobertura ao vivo da Jovem Pan.

Na terça à noite, haverá o primeiro debate com os candidatos à Presidência na TV Bandeirantes.

Na quarta-feira, Marina Silva dá entrevista ao Jornal Nacional, uma vez que ela não teve a oportunidade antes, como os outros candidatos. Eduardo Campos chegou a dar respostas ao programa da Rede Globo um dia antes de sua trágica morte.

No mesmo dia, no Congresso, a CPI da Petrobras tem reunião marcada para tentar agendar novo depoimento do ex-diretor da empresa de capital misto, Paulo Roberto da Costa.

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, participa de encontro na Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura na quinta-feira.

Na sexta, a candidata pessebista Marina Silva lança o seu programa de governo.

Impacto de Costa nas eleições de outubro

A influência das denúncias dda CPI da Petrobras nas eleições de outubro vai depender do conteúdo do depoimento de Costa.

Paulo Roberto Costa aceitou na última sexta-feira um acordo de delação premiada com procuradores da Operação Lava-Jato.

Costa é considerado uma bomba política ambulante por causa dos contatos que manteve por muitos anos na capital federal. Ouve-se em Brasília que Costa teria relações com 100 congressistas, além das principais empreiteiras.

A dúvida que fica é se vai haver tempo para Costa falar tudo que se espera e se isso provocaria alguma consequência eleitoral.

Dilma seria a mais afetada eleitoralmente pelas denúncias, já que ela representa o atual governo, e Marina Silva, que espelha a imagem de uma “nova política”, poderia ser alavancada.

Paulo Roberto Costa veio para balançar o cenário eleitoral, conclui Fernando.

No final do áudio acima, Fernando Rodrigues e Joseval Peixoto explicam mais detalhadamente como funciona o processo de delação premiada.

Pesquisas e pânico

Terça, às 18h, o Ibope divulga pesquisa sobre eleições presidenciais e aos governos de SP, RJ, MG, PE e DF.

Na sexta, o Datafolha expõe no início da noite o resultado de suas pesquisas presidenciais.

Essa deve ser considerada a linha de largada da disputa, avalia Rodrigues, pois a maior parte do eleitorado já teve tempo de saber que Marina Silva entrou na disputa.

Há um certo pânico nas campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves com essa onda em torno da substituta de Campos.

Uma coisa é certa, conclui Fernando: se Marina aparecer nessas pesquisas de terça e sexta à frente do que estava na última pesquisa, da semana anterior, ela vai se tornar alvo imediato de ataques dos outros candidatos.