Polícia do Marrocos prende 3 pessoas por nova agressão a travesti

  • Por Agencia EFE
  • 29/09/2015 01h17

Rabat, 28 set (EFE).- A polícia marroquina deteve três pessoas em Casablanca por envolvimento na agressão de um jovem travesti, informou o órgão nesta segunda-feira.

As investigações demonstraram que o caso, que repercutiu nas redes sociais na última sexta-feira depois que um vídeo da agressão foi postado, tinha ocorrido dois dias antes em Ain Sebaa, em Casablanca, e a vítima era um jovem de 17 anos. Este é o segundo caso de travesti agredido em menos de três meses no Marrocos.

A gravação, de 55 segundos, mostra várias pessoas em um lugar escuro batendo, insultando e obrigando o jovem a tirar a roupa íntima, que era feminina.

Em comunicado, a polícia explicou que um dos detidos, de 23 anos, é acusado de “agredir uma pessoa por suas supostas orientações sexuais”, enquanto os outros dois, de 19 e 20 anos, tentaram chantagear a família da vítima com o vídeo. As investigações ainda estão em andamento e a polícia procura mais um envolvido, já que, segundo as testemunhas, foram quatro as pessoas que participaram diretamente da agressão.

Em 30 de junho, outro travesti esteve prestes a ser linchado por uma multidão em uma movimentada rua da cidade de Fez. Mesmo machucado, o jovem conseguiu fugir e se esconder em uma loja. O caso também foi gravado e chegou as redes sociais. Depois disso, o governo marroquino declarou que puniria judicialmente os que tentassem “substituir forças da ordem”, fazendo justiça com as próprias mãos.

O homossexualismo é crime no Marrocos, com penas que podem chegar a três anos de prisão, e os gays sofrem grande reprovação da sociedade. EFE