Tempestade “Carlos” se transforma outra vez em furacão no litoral do México

  • Por Agencia EFE
  • 15/06/2015 17h43

Cidade do México, 15 jun (EFE).- A tempestade tropical “Carlos” ganhou força nas últimas horas até se transformar novamente em um furacão categoria 1 na escala Saffir-Simpson em frente à costa ocidental do México, informou nesta segunda-feira o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

Em comunicado emitido às 13h15 (horário local, 15h15 de Brasília), o organismo indicou que “Carlos” se encontra 130 quilômetros ao sul-sudoeste de Lázaro Cárdenas (Michoacán) e 280 quilômetros ao sudeste de Manzanillo (Colima).

O fenômeno meteorológico, que já causou uma morte em Jalisco, gera ventos máximos sustentados de 120 km/h com sequências de até 140 km/h e se desloca rumo ao oeste-noroeste a 9 km/h.

O SMN estabeleceu uma zona de prevenção por efeitos de furacão do oeste de Punta San Telmo (Michoacán) até Playa Perula (Jalisco).

Sua circulação gera potencial de chuvas intensas (75 a 150 milímetros) em Michoacán, muito fortes (50 a 75 milímetros) em Guerrero, Jalisco e Colima, assim como fortes (25 a 50 milímetros) em Nayari.

O SMN alertou também que haverá ondas de 3 a 4 metros no litoral de Michoacán e Guerrero, assim como de 2,5 a 3,5 metros nos de Jalisco e Colima.

O Sistema Nacional de Defesa Civil mantém em alerta laranja (perigo alto) o ocidente de Guerrero e o sul de Michoacán pela passagem de “Carlos”.

Em nível amarelo (perigo moderado) se encontram o centro e norte de Michoacán, o resto de Guerrero, o sul de Jalisco e todo Colima, e em alertas menores estão algumas áreas dos estados de Sinaloa, Durango, Baja California Sur, Oaxaca, Chiapas e Nayari.

Segundo os meteorologistas, “Carlos” perderá força nas próximas horas e voltará a ser tempestade amanhã às 19h (21h) quando estiver 100 quilômetros ao sudoeste de Manzanillo (Colima).

Antes de “Carlos” se formaram no Oceano Pacífico “Andrés” e “Blanca”, que evoluíram até se transformar em furacões de categoria 4 na escala Saffir-Simpson, de um total de cinco níveis. EFE

pmc/rsd