Texas (EUA) executa homem condenado por 3 assassinatos em 2002

  • Por Agencia EFE
  • 14/05/2015 13h55

Washington, 12 mai (EFE).- O estado do Texas, nos Estados Unidos, executou nesta terça-feira com uma injeção letal o detento Derrick Charles, um afro-americano de 32 anos condenado pelo assassinato de sua namorada, a mãe e o avô dela em 2002, informou o Departamento de Justiça Criminal do Texas (TDCJ).

O TDCJ notificou que Charles foi declarado morto às 18h36 (horário local, 20h36 de Brasília) após ser executado com injeção letal na prisão de Huntsville e que suas últimas palavras foram: “Estou pronto para ir para casa”.

No momento em que cometeu os assassinatos, Charles tinha 19 anos e matou sua namorada, Myiesha Bennett, de 15; a mãe dela, Brenda Bennett, de 44; e de seu avô, Obie Bennett, de 77.

Nessa época, Charles estava em liberdade condicional após ter sido condenado a três anos de prisão por invadir uma casa para roubá-la

Com a execução de hoje o Texas já soma sete neste ano, e tem mais duas programadas para os condenados Lester Bower, em 3 de junho, e Gregory Russeau, no dia 18 do mesmo mês.

Para estas duas execuções, o estado do Texas conta apenas com uma provisão de pentobarbital, o sedativo usado nas injeções, e esgotará seu estoque com Lester Bower, de 67 anos, que matou quatro pessoas em 1983.

O que acontecerá em 18 de junho com Gregory Russeau, afro-americano de 55 anos condenado por um assassinato em 2001, é uma incógnita já que o Texas não tem em seus protocolos o uso do midazolam e é improvável que os modifique às vésperas da decisão do Supremo Tribunal sobre sua legalidade.

O Texas é o único estado dos EUA que deve aplicar a pena de morte durante os próximos meses, uma situação insólita que se explica pelo desafio legal às injeções letais discutida atualmente pela Suprema Corte. EFE