Doria é alvo de adversários em debate e adota tom mais agressivo

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2018 08h06
Paulo Lopes/Estadão ConteúdoDoria acabou adotado tom mais agressivo que em debates de 2016

O primeiro debate na corrida eleitoral de São Paulo ocorreu na noite desta quinta-feira (16) na TV Bandeirantes.

O ex-prefeito João Doria já contava que seria o alvo principal dos adversários. Ele lidera as pesquisas e deixou a Prefeitura com menos de um ano e meio de mandato. Isso foi bastante explorado no debate, ele foi bastante preparado, mas se mostrou agressivo nos debates, diferentemente, dos debates da campanha municipal.

Ele estava a todo momento muito nervoso, na primeira oportunidade que Luiz Marinho atacou sua mulher, Doria até esqueceu de defendê-la e acabou adotado tom mais agressivo que em debates de 2016. Isso tem um pouco de cálculo, mas no vídeo isso acaba passando imagem de nervosismo.

Em relação ao conteúdo, o debate conseguiu a proeza de ser mais pobre que o debate presidencial. O momento mais quente da discussão foi na hora de falar sobre a “praga do javaporco”.

O candidato do PT, Luiz Marinho, se mostrou como mais franco-atirador e falou até de corrupção, mesmo quando seu padrinho está preso. Foi irônico ver Marinho querer dar lições de ética aos adversários. Ele mostrou uma performance parecida com a do Jornal da Manhã.

Conhecemos alguns postulantes os quais a existência não conhecíamos até hoje, mas teve pouco efeito para torná-los conhecidos.

Márcio França, por exemplo, foi acionado mais nos omentos para saber o motivo para a proibição da caça ao javali.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: