Vera Magalhães: Bastidores do Congresso articulam para que Coaf saia das mãos de Moro

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2019 07h58
EFESergio Moro era alguém que já tina estatura grande quando decidiu deixar sua carreira de juiz para encarar o desafio de ser ministro

O presidente afirmou que a vontade pessoal dele é de que o Coaf permaneça no Ministério da Justiça, mas isso não é suficiente e talvez não seja totalmente sincero.

Jair Bolsonaro, no café da manhã com jornalistas, manifestou a possibilidade de o Coaf voltar à alçada do Ministério da Economia. Ele fez isso em consonância com parcela significativa do Congresso que trabalha por essa mudança.

O ministro Sergio Moro já percebeu essa movimentação e começou campanha para tentar manter o Coaf sob o seu guarda-chuva. Ele disse que sob a sua responsabilidade, o órgão ganhou maior robustez e que estaria melhor em sua pasta.

Por sua vez, os parlamentares pensam que Moro estaria muito poderoso e com muitas ferramentas para levar dores de cabeça a políticos. Então, corre nos bastidores uma MP editada no Governo Bolsonaro, que ainda não foi votada, e que tem emendas que desfiguram muitas das medidas feitas. Uma delas é levar o Coaf para o Ministério da Economia.

Não custa lembrarmos que o Coaf foi o órgão que produziu o relatório sobre o ex-assessor Fabrício Queiroz. O Coaf investigou de forma igual todos os deputados estaduais da Alerj cujos gabinetes tinham movimentações financeiras atípicas, e não apenas o do filho do presidente, Flávio Bolsonaro.

Moro sob ataques

Sergio Moro era alguém que já tina estatura grande quando decidiu deixar sua carreira de juiz para encarar o desafio de ser ministro. Ele achou que os limites para que ele combatesse os crimes de corrupção já tinham sido atingidos.

No Ministério, ele teria essas ferramentas, mas talvez ele tenha calculado mal a quantidade de desafetos e de pessoas que querem tolher seu poder.

Sobre uma eventual ida ao Supremo, você vê a todo momento movimentos para “cortar as asas” do ministro da Justiça.

O ministro ainda não percebeu que ele era grande demais para a posição que ele viria a ocupar, e isso o tornaria em vidraça. A forma como ele vai reagir a gente vai assistir. Ele é muito habilidoso. Ele tem de contar com o grande apoio da opinião pública e imprensa e tente montar uma bancada “morista” no Congresso.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: