Vera Magalhães: Brasil pode se unir a países da América Latina para articular queda de Maduro

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2019 07h59
EFEA tentativa é forçar a queda de Maduro a partir do exterior

Quatro opositores de Nicolás Maduro estão no Brasil para tratar do impasse político em relação ao país vizinho e articulam uma espécie de intervenção externa. O Brasil já está participando, mas não é uma intervenção militar ou que use da força.

Os quatro opositores que desembarcaram nesta quarta-feira (16) em Brasília vão discutir com o chanceler brasileiro Ernesto Araújo a possibilidade de se articular a transição de poder.

A tentativa é forçar a queda de Maduro a partir do exterior. O Brasil também participará de reunião da OMC para determinar sanções econômicas à Venezuela e forçar Maduro a deixar o poder.

No caso de fecharem o acordo para que o Brasil e outros países se unam para resolver a ditadura venezuelana, o apoio deve ir ao atual presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó.

Ainda existe grande restrição dentro do Governo brasileiro para uma saída militar neste caso. O general Heleno disse que não é desejável a intervenção com a força e que existe medo com uma crise humanitária ainda maior. O Brasil tem fronteira extensa com a Venezuela, e em caso d elevante armado, por exemplo, a situação no Brasil também poderia se agravar.

O esforço na Venezuela não é o único na pauta das Relações Internacionais e Comércio Exterior.

Outros dois exemplos que exigiram foco do Governo foram o aceno para base militar dos Estados Unidos no Brasil e o caso da demissão do presidente da Apex.

Depois de um começo bastante ideológico, Ernesto Araújo adota uma postura mais pragmática.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: