Vera Magalhães: Campanha de Bolsonaro pede que Paulo Guedes e Mourão baixem o tom e evitem ruídos

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2018 07h57
Jovem PanNos bastidores, o que se pediu é que aliados, entre eles Paulo Guedes e o vice General Mourão baixem um pouco o tom das declarações

A campanha de Jair Bolsonaro viveu certa controvérsia nesta quarta-feira (18) sobre aumento de imposto e recriação da CPMF. Foi graças a uma reunião que o economista Paulo Guedes teve com investidores na véspera.

O “Posto Ipiranga” de Bolsonaro começou a detalhar o plano, o pacote tributário, do presidenciável. Houve notícia de que este plano traria um imposto semelhante à CPMF. Depois, Paulo Guedes veio a público e explicou que vai haver incidência de imposto sobre movimentações financeiras, mas dentro de um único imposto.

O fato é que a campanha de Jair Bolsonaro não gostou deste ruído. Porque uma de suas bandeiras mais simples de entender e que tem mais eco é o “chega de imposto”. Então explicar uma proposta complexa e que dá margem a entendimentos diferentes não foi bem visto pela campanha. Tanto que a conta do candidato no Twitter publicou duas postagens para esclarecer.

Nos bastidores, o que se pediu é que aliados, entre eles Paulo Guedes e o vice General Mourão baixem um pouco o tom das declarações e evitar ruídos que podem ser prejudiciais à campanha e, consequentemente, explorados pelos adversários.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: