Vera Magalhães: Campanha entra em fase de pedidos por votos úteis

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2018 07h51
Nelson Jr./ ASICS/ TSEA partir de agora, com 25 dias para o primeiro turno, a configuração real dos candidatos mostra que a campanha entra em nova fase

O Ibope divulgou nesta terça-feira (11) o resultado de mais uma pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial de 2018. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança com 26%. Em seguida, aparecerem empatados Ciro Gomes (PDT) com 11%, Marina Silva (Rede)com 9%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 9% e Fernando Haddad (PT) com 8%.

A partir de agora, com 25 dias para o primeiro turno, a configuração real dos candidatos mostra que a campanha entra em nova fase. Você tem agora a antecipação do voto útil por parte daqueles que têm dificuldade em crescer. O segundo bloco, por exemplo, está embolado em empate técnico.

O que já vinha aparecendo em discursos de Alckmin se intensifica e ganha contraponto de Ciro Gomes e Marina Silva aderindo a mesma estratégia. O tucano, que disse que votar em Bolsonaro é trazer de volta o PT, levou o discurso de voto útil à campanha na TV.

A mesma coisa deve voltar a aparecer em seus discursos durante a campanha de rua.

Do outro lado, Ciro e Marina que vinham poupando Lula, porque querem ser destinatários dos votos do petista, elevaram o tom. Marina agora chama Lula de corrupto, e Ciro intensificou os ataques a Fernando Haddad.

A transferência de votos vem se mostrando ainda em curva estável. A grande pergunta, no campo petista e entre os que querem herdar o voto lulista, é se vai dar tempo de Haddad angariar essas intenções de voto que seriam de Lula.

Com a confirmação de sua candidatura, Haddad tem visto seu crescimento progressivo em pesquisas. Mas o contraponto da taxa de rejeição petista ainda preocupa. É preciso ver o ritmo como a transferência ocorrerá, a forma como a campanha de Haddad será feita, além do comportamento dos adversários.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: