Vera Magalhães: Crise venezuelana opõe Bolsonaro e Maia

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2019 07h59
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoNa noite desta terça, Bolsonaro disse que era decisão exclusiva do presidente da República. Isso provocou uma reação

A crise na Venezuela serviu de mote para mais uma rusga entre Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia. O presidente da República disse que cabe a ele decidir como o Brasil vai agir em relação ao país vizinho. É mais uma diferença de tom dentro do próprio Governo e em relação ao Congresso.

Desde a manhã desta terça-feira (30) os militares do Governo estiveram cautelosos ao abordar a crise venezuelana. As informações que chegam ao governo brasileiro são precárias, porque já não tem canal de comunicação com a ditadura Maduro.

O general Heleno sempre demonstrou cautela ao tratar do assunto, mas sempre descartou possibilidades de intervenção militar. Essa é posição diferente dos Estados Unidos, que dizem que “todas as opções estão na mesa”.

A mesma linha de general Heleno foi adotada pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Ele negou de forma veemente qualquer possibilidade de ação militar na Venezuela.

Mas na noite desta terça, Bolsonaro disse que era decisão exclusiva do presidente da República. Isso provocou uma reação. A irritação parece ser direcionada, mais uma vez, a Mourão.

Mas quem respondeu foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que disse que qualquer decisão de declaração de guerra depende da chancela do Congresso.

De novo temos os poderes da República envoltos em guerras via Twitter.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: