Aristides Cury afirma que reforma administrativa e teto de gastos não podem ser negligenciados

Segundo o presidente da ADVB, esses temas precisam ser tratados agora, no início do ano, porque o processo eleitoral vai tornar a tramitação deles impraticável

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2021 11h01
Reprodução/Jovem PanAristides Cury afirma que a reforma administrativa vem sendo empurrada com a barriga por ser um tema muito espinhoso

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “Dois temas não devem ser negligenciados. A ADVB sempre priorizou em seus pronunciamentos a reforma administrativa, que por ser um assunto muito espinhoso, uma matéria muito espinhosa, vem sempre sendo empurrada com a barriga, mas chegou a hora de realizá-la. E precisa ser agora, no início do ano, porque se deixar para 2022, em pleno processo eleitoral, vai ser impraticável a sua tramitação. O segundo tema é o respeito ao teto de gastos, que não pode ser negligenciado, mesmo que a tentação em desrespeitá-lo seja muito grande. Entretanto, o pecado de desrespeitá-lo terá consequências quase infernais. Não vale a pena cair nessa tentação”, avalia Aristides da la Plata Cury, presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB).

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Panjovempan.com.br/o-brasil-nao-pode-mais-esperar. Clique AQUI.