Laercio Gonçalves sonha com o fim da ‘atual guerra fiscal brasileira’

Presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins espera que governo e Congresso coloquem reforma tributária na lista de prioridades deste semestre

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2021 12h02 - Atualizado em 30/03/2021 13h09
Reprodução/Jovem PanLaercio Gonçalves é presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins (Adirplast)

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “O sistema tributário brasileiro não é obsoleto e complicado, mas absurdamente caro. Não apenas pelos impostos que pagamos, mas por ser um sistema tão burocrático que exige um departamento inteiro apenas para gerenciá-lo. Isso torna o produto final mais caro e menos competitivo. Principalmente quando se leva em consideração o fato de nem todos no setor atuarem de forma isenta. A guerra fiscal que vivemos há anos traz prejuízo a todos, não apenas às empresas idôneas, mas também à sociedade. Por isso, defendemos a reforma do sistema tributário brasileiro. Enquanto ela não acontece, ficamos todos reféns de um sistema burocrático, caro e ineficiente. Assim esperamos que o governo federal e o Congresso Nacional façam o que é melhor para toda a sociedade brasileira e coloque a reforma tributária definitivamente na lista de prioridades deste semestre”, disse Laercio Gonçalves, presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins (Adirplast).

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.