Para Ricardo Alban, não adianta aprovar a reforma administrativa sem a tributária

Presidente da FIEB afirma que é preciso criar cumplicidade nacional para que as aprovações aconteçam da forma mais viável possível

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2021 13h52
Reprodução/Jovem PanRicardo Alban defende que o Brasil precisa ter um Estado compatível com o tamanho da sua economia

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “Todos temos convicções do quão importante são as reformas administrativa, fiscal e tributária. Não há dúvida quanto a isso, nós precisamos estar convergentes, precisamos criar uma cumplicidade nacional para que isso aconteça da forma mais viável possível, porque o Brasil não pode esperar, nós não podemos esperar, a sociedade não pode esperar. Nós precisamos ter um Estado compatível com o tamanho da sua economia. Não adianta de nada nós fazermos uma reforma sem a outra. Nós precisamos tornar isso equilibrado. Temos certeza de que a reforma tributária é muito importante para que possamos não só simplificar, mas também torná-la mais equânime. E reforma administrativa para trazer o nosso país ao tamanho das despesas que ele comporta. Vamos juntos, vamos ser cúmplices e vamos cobrar isso o quanto antes”, defende Ricardo Alban, presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB).

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.