Ricardo Patah reforça a importância da reforma fiscal para melhorar a distribuição de renda

Segundo o presidente da UGT, aprovação da reforma administrativa não envolve ‘perseguição’ a servidores públicos

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2021 12h55
Reprodução/Jovem PanRicardo Patah defende a aprovação de agenda de reformas

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “Com relação tanto à reforma administrativa quanto fiscal, são reformas importantíssimas que o Brasil já deveria ter debatido. Infelizmente, o nosso parlamento não conseguiu. A reforma administrativa tem a função de ter um Estado dimensionado à necessidade do momento presente e também do momento futuro que o Brasil vai vivenciar. E, logicamente, não tem nada a ver com perseguir servidores públicos ou coisa desse tipo. É simplesmente ter tamanho e capacidade de atender à demanda da sociedade. Com relação à reforma fiscal, ela é fundamental, porque com certeza vai nos possibilitar acabar com esse fosso tão grave da distribuição de renda absurda que o Brasil tem. Nós precisamos ter uma distribuição de renda que com certeza vai capacitar o Brasil, como a reforma industrial, que terá capacidade de melhorar, inclusive, o consumo. A UGT é favorável às duas reformas com diálogo, e que o parlamento se sensibilize para ver o que é melhor para o nosso país, demandado por essa sociedade que, infelizmente, durante a pandemia, lida com o desemprego e com muitas mortes”, aponta Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.