Sandro Mabel afirma que reformas vão ajudar o Brasil a retomar a economia

Para o presidente da Fieg, a primeira reforma a ser feita deve ser a administrativa, para baixar o custo do governo brasileiro, e depois aprovar a tributária

  • Por Jovem Pan
  • 18/03/2021 13h24
Reprodução/Jovem PanSandro Mabel afirma que não adianta fazer reforma tributária com a máquina custando caro

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “O Brasil precisa urgentemente das reformas. Eu fui parlamentar durante 20 anos e sei o quanto é importante. A reforma principal, a primeira, deve ser a reforma administrativa, para baixarmos o custo do governo brasileiro. E, logo na sequência, fazermos a reforma tributária. Não adianta fazer reforma tributária com a máquina custando muito caro. Senão, vai precisar de muito imposto para pagar. Então, nós temos que baixar o custo com a reforma administrativa, e posteriormente fazer a tributária. A tributária tem que ter um prazo longo, um prazo onde você possa fazer com que os Estados, os municípios, todos possam entrar dentro dessa reforma, mas é muito importante que sejam feitas. Eu diria hoje que a reforma tributária vai dar um novo impulso para o Brasil. Faz a administrativa, baixa o custo dessa máquina grande do governo, e faz a tributária para incentivar ainda mais as pessoas a aplicarem no Brasil, e nós teremos, se Deus quiser, uma retomada, e o Brasil vai sair lá na frente. Eu acredito muito nisso”, diz Sandro Mabel, presidente da FIEG.

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.