Presidente da Abiquim diz que reforma tributária e PL do gás são essenciais para a indústria química

Ciro Marino afirma que é necessário que a indústria tenha o melhor equilíbrio de tributos pagos aqui no país, similares aos dos países concorrentes, principalmente os da OCDE

  • Por Jovem Pan
  • 16/02/2021 11h26 - Atualizado em 16/02/2021 11h28
Youtube/Jovem PanPresidente da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Ciro Marino

Jovem Pan está sempre atenta aos desafios e às necessidades do Brasil. Nos posicionamos em momentos decisivos e por isso, novamente, nos colocamos em defesa das reformas e dos projetos fundamentais para o desenvolvimento do país. Para isso, convidamos empresários, lideranças e autoridades para agir, juntos, em prol do futuro da nação. O Brasil não pode mais esperar. “Alguns itens são particularmente relevantes para a indústria química, um deles é a questão da reforma tributária, o segundo é a questão do PL do gás, do Custo Brasil, da inserção internacional e da defesa comercial. Esses são os principais pontos. Na tributária, a gente busca com que a indústria tenha o melhor equilíbrio de tributos pagos aqui no país, similares aos que os nossos concorrentes têm nos países pares, principalmente os da OCDE”, defende Ciro Marino.

“Hoje a situação coloca o Brasil, na questão tributária, totalmente fora da competição. Temos altas expectativas para esses próximos dois anos do governo Bolsonaro e que isso continue após também, porque são processos que a gente sabe que não vão se limitar a essa situação. Teremos ainda a reforma administrativa e reforma política como fatores chave e estruturantes para que o Brasil tenha um outro futuro”, completa o presidente da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.