11 dicas para evitar náuseas, tonturas e bocejos durante o treino

Médico explica quais são as causas e como prevenir esses problemas durante os exercícios

  • Por EdiCase
  • 17/11/2023 16h00 - Atualizado em 17/11/2023 17h48
As náuseas, as tonturas e os bocejos durante o treino podem indicar necessidade de ir ao médico As náuseas, as tonturas e os bocejos durante o treino podem indicar necessidade de ir ao médico Imagem: Theeraphong | Shutterstock

Realizar exercícios físicos é uma jornada repleta de benefícios, desde o fortalecimento muscular até a melhora do humor e do condicionamento cardiovascular. No entanto, durante ou após a prática, podemos nos deparar com sintomas inesperados como tontura, bocejos e enjoos. Por isso, confira as razões por trás dessas reações e entenda quando elas podem ser motivo de preocupação.

Quais as causas da tontura durante o treino?

A tontura durante o exercício é uma experiência que muitos já vivenciaram. O médico Dr. Francisco Saracuza explica que, geralmente, ela ocorre devido ao acúmulo de sangue nas extremidades inferiores do corpo, o que compromete o retorno venoso ao coração.

Essa diminuição no débito cardíaco provoca uma queda na pressão arterial, resultando na tontura. É importante observar que essa sensação é mais comum durante mudanças rápidas de posição, exercícios intensos, ou quando o corpo não está devidamente hidratado.

Importância da hidratação durante a atividade física

Vários fatores podem contribuir para a tontura durante o treino. A desidratação é um deles, pois reduz o volume sanguíneo, o que faz com que o cérebro envie sinais ao coração para estabilizar a pressão arterial. Além disso, condições como a síndrome de taquicardia ortostática postural, episódios recentes de vômitos, diarreia ou febre também podem causar tontura durante o exercício.

O Dr. Francisco Saracuza cita medidas que podem ser tomadas para prevenir a tontura durante o treino. Confira!

1. Se hidrate adequadamente

Beba água antes, durante e após o exercício. A hidratação é fundamental para manter o volume sanguíneo e a pressão arterial adequados.

2. Evite mudanças bruscas de posição

Não pare o exercício abruptamente e evite levantar-se rapidamente após estar sentado ou deitado. Respire profundamente e faça as transições de forma gradual.

3. Aqueça antes de começar e encerre aos poucos

Faça um aquecimento antes de iniciar o exercício e, da mesma forma, encerre o treino aos poucos. O desaquecimento, que envolve alongamentos, é essencial para evitar desconfortos.

4. Monitore a frequência cardíaca

Use um monitor de frequência cardíaca e esteja atento a alterações nos batimentos cardíacos. Caso ocorram mudanças anômalas, interrompa o exercício e consulte um médico. A tontura durante o exercício pode variar de alguns segundos a vários minutos, mas se for um problema recorrente, é fundamental buscar orientação médica para descartar condições pré-existentes.

O bocejo durante o exercício é motivo de preocupação?

O bocejo é um processo involuntário de inspiração profunda, geralmente desencadeado por sonolência, fadiga ou tédio. Embora os motivos exatos pelos quais bocejamos não sejam totalmente compreendidos, o bocejo contagioso (quando vemos ou ouvimos alguém bocejar) está relacionado à comunicação social. Além disso, estudos sugerem que bocejar pode ajudar a regular a temperatura do cérebro.

O bocejo durante o treino é uma ocorrência relativamente comum e pode ser desencadeado por uma variedade de fatores. Durante o exercício, o bocejo pode ser uma resposta natural do corpo a determinados estímulos, como fadiga, estresse, ansiedade, tédio, temperatura ou nível de esforço. É uma maneira que o corpo tem de regular a oxigenação e a ventilação dos pulmões.

Problemas cardíacos podem causar sonolência

Em muitos casos, o bocejo durante o treino é inofensivo e não representa um problema de saúde significativo. É apenas uma resposta fisiológica do corpo e pode ocorrer sem qualquer consequência negativa. No entanto, em alguns casos, o bocejo excessivo durante o exercício pode indicar a presença de problemas.

Distúrbios do sono, como a apneia do sono, podem causar sonolência diurna excessiva e bocejos frequentes durante o dia, incluindo durante o treino. Além disso, doenças cardíacas, como insuficiência cardíaca, podem levar à fadiga e à falta de oxigenação adequada do corpo, resultando em bocejos mais frequentes durante a atividade física.

“Se o bocejo durante o treino ocorrer com muita frequência, for particularmente intenso, acompanhado de outros sintomas preocupantes, como falta de ar, dor no peito, palpitações ou desmaios, é recomendável buscar orientação médica. Um profissional de saúde poderá avaliar os sintomas, investigar possíveis causas e fornecer um diagnóstico adequado”, orienta o Dr. Francisco Saracuza, que lista dicas para evitar o bocejo excessivo durante o exercício:

1. Faça exercícios de respiração profunda

Se sentir que está bocejando demais, experimente exercícios de respiração profunda pelo nariz. A respiração nasal pode diminuir o bocejo contagioso.

2. Movimente-se

Mudar a rotina de exercícios pode ajudar a estimular o cérebro e reduzir o tédio e o estresse, que podem levar ao bocejo.

3. Refresque-se

Em dias quentes, certifique-se de manter-se hidratado e evite correr sob o sol escaldante. Levar água e se hidratar a cada 20 minutos pode evitar o superaquecimento e a desidratação.

Para fazer um bom treino, é essencial se alimentar bem antes dos exercícios Imagem: G-Stock Studio | Shutterstock

Como evitar o enjoo durante a atividade física?

Sentir enjoo durante o treino é uma sensação desagradável que pode ocorrer em algumas pessoas durante a prática de exercícios físicos. Essa náusea pode ser causada por uma variedade de fatores e geralmente está relacionada ao sistema digestivo e à forma como o corpo responde ao esforço físico.

Um dos fatores que podem desencadear a náusea durante o treino é iniciar ou encerrar o exercício abruptamente. Quando o corpo passa por uma transição rápida entre o repouso e a atividade intensa, como um treino intenso ou um sprint, pode ocorrer uma desregulação no sistema digestivo, resultando em náusea. 

“A alimentação antes do treino também pode desempenhar um papel importante na ocorrência de náuseas. Ingerir alimentos pesados, ricos em gordura ou grandes quantidades de comida antes do exercício pode sobrecarregar o sistema digestivo, retardando a digestão e causando desconforto gástrico. Da mesma forma, beber muita água antes do treino em um curto período de tempo pode levar à sensação de náusea”, alerta o Dr. Francisco Saracuza.

Fatores que desencadeiam a náusea

As condições ambientais também podem contribuir com o enjoo. Exercitar-se em temperaturas muito elevadas ou em ambientes abafados pode levar a uma desidratação mais rápida, afetando a digestão e causando náuseas. Além disso, o calor excessivo pode aumentar a sensação de desconforto gástrico.

A intensidade do exercício também é um fator a ser considerado. Exercícios físicos intensos que exigem grande esforço do corpo, especialmente aqueles que envolvem movimentos bruscos ou saltos, podem afetar a digestão e causar náuseas.

É importante mencionar que o enjoo durante o treino nem sempre é motivo de preocupação. Em muitos casos, é temporário e desaparece após o término do exercício. No entanto, se for persistente, intenso, acompanhado de outros sintomas preocupantes, como dor no peito, tontura e sensação de desmaio, é aconselhável interromper o treino imediatamente. Para evitar a náusea durante o treino, considere as seguintes dicas:

1. Inicie e encerre gradualmente

Evite iniciar e encerrar o exercício de forma abrupta. Inicie com um ritmo mais lento e permita que seu corpo se adapte gradualmente à atividade.

2. Se hidrate aos poucos

Mantenha-se hidratado, mas evite ingerir uma grande quantidade de água de uma vez. Isso pode causar diluição de eletrólitos e levar à náusea.

3. Evite refeições pesadas

Não coma alimentos ricos em gordura ou proteína imediatamente antes do treino. Opte por refeições leves ricas em carboidratos e fibras.

4. Exercício em condições adequadas

Evite exercitar-se sob temperaturas muito elevadas e certifique-se de estar bem-hidratado. O tipo e a intensidade do treino também desempenham um papel crucial na náusea. Procure se adequar ao seu nível de condicionamento físico e evite exagerar.

Para os praticantes regulares de exercícios, a náusea após o treino geralmente resulta da combinação desses fatores. Portanto, a atenção a esses aspectos e a adoção de uma combinação de estratégias podem minimizar o desconforto. Se a náusea persistir ou for particularmente intensa, é recomendável consultar um profissional.

“Se você se deparar com esses sintomas regularmente e eles afetarem sua rotina de exercícios, a consulta a um profissional de saúde é fundamental para identificar e tratar possíveis causas existentes. Lembre-se de que o exercício é essencial para a saúde, e abordar essas questões pode ajudar a tornar o seu processo de evolução mais agradável e eficaz”, conclui o Dr. Francisco Saracuza.

Por Roneia Forte

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.