Durante a manhã, 1.956 urnas foram substituídas e 35 pessoas foram presas

  • Por Jovem Pan
  • 28/10/2018 13h47
Raimundo Paccó/Frame/FolhapressFuncionários do TRE realizam o transporte das urnas eletrônicas em Icoaraci (BA)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou um balanço inicial do andamento do segundo turno das eleições deste ano no país. De acordo com os dados oficiais, das 8h às 12h, 1.956 urnas tiveram que ser substituídas e 35 pessoas foram presas por crimes eleitorais.

São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os estados que tiveram mais urnas trocadas. Durante a manhã foram 177 no primeiro, 123 no segundo e 94 no terceiro. Mesmo assim, em nenhum lugar houve necessidade de votação manual.

O número é maior do que o registrado no mesmo horário no primeiro turno, quando 310 urnas haviam sido trocadas. De acordo com o tribunal, a diferença pode ter acontecido por demora na comunicação entre seções eleitorais e o TSE.

Além das 35 pessoas presas, outras 46 se envolveram em ocorrências eleitorais, mas não chegaram a ser detidas.

Biometria

Ao contrário do que ocorreu na votação do primeiro turno, não há registro de filas nas seções eleitorais do Rio de Janeiro em decorrência da exigência de identificação através de biometria.

O uso de dados biométricos do Departamento Estadual de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran-RJ) pegou de surpresa os eleitores do estado no primeiro turno. Foi exigida a identificação digital nas seções eleitorais mesmo a quem não fez o cadastro biométrico, o que aumentou o tempo de votação e provocou filas em diferentes zonas eleitorais.

Apuração

A apuração dos votos começa às 17h. No caso da eleição para governador, o tribunal acredita que até às 19h30 a apuração parcial já terá dado um cenário confiável de quem será vencedor.

*Com informações do Estadão Conteúdo