#Alcirina: internautas criam campanha pedindo união de Alckmin, Ciro e Marina em chapa única

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2018 18h25
PAULO LOPES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMilitantes querem impedir segundo turno entre PT e PSL

Apoiadores de Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) se juntaram nas redes sociais nesta quarta-feira (3) para pedir que os candidatos se unam em uma única chapa para disputar a presidência da República neste ano. A ação foi chamada de “Alcirina” (palavra que mistura uma sílaba de cada nome) e entrou para os Trending Topics (TTs), os tópicos mais comentados do Twitter, durante a tarde.

A campanha foi iniciada com um abaixo-assinado divulgado na web. O texto diz que “tempos extraordinários demandam medidas extraordinárias” e que o país caminha para “um cenário de segundo turno no qual ninguém sairá vencedor”, fazendo referência a uma possível disputa entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

“Não podemos arriscar ter o Brasil refém de governos que irão ampliar ainda mais a divisão e polarização do país (…). No entanto, um novo cenário é possível se nos organizarmos e colocarmos nossas diferenças de lado pelo bem do país”, diz o documento. “Fazemos um apelo para que os senhores e a senhora unifiquem os seus votos em uma única candidatura, sinalizando aos seus eleitores que votem no candidato escolhido”.

O abaixo-assinado sugere em seguida que, devido às mais recentes pesquisas de intenção de voto (que mostram Ciro como terceiro colocado), Alckmin e Marina devem apoiar a candidatura do pedetista. Em troca, ele incorporaria propostas de ambos em seu projeto. “No entanto, entendemos que, mais importante do que quem será o candidato, é a união dos senhores e da senhora na reta final das eleições”, finaliza.

A ação ganhou ainda mais força após uma declaração feita por Ciro durante ato de campanha. Além de ironizar a ausência de Bolsonaro nos debates da televisão, ele falou que aceitaria o apoio de outros rivais para tentar chegar ao segundo turno.

Até às 18h20, o abaixo-assinado tinha cerca de 8,5 mil assinaturas.