Alckmin se confunde e chama Ana Amélia de Kátia Abreu, vice de Ciro

  • Por Jovem Pan
  • 21/08/2018 08h35
FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAlckmin ainda defendeu a redução de ministérios. Sem revelar as pastas, disse que, se eleito, deve acabar com 10 ministérios e dar mais poder ao Ministério da Fazenda.

Treze dias após confundir o nome da mulher de Luciano Huck – chamou Angélica (atual) de Eliana (ex-namorada) – o candidato ao Palácio do Planalto pelo PSDB, Geraldo Alckmin, trocou o novamente o nome de duas mulheres. Desta vez, no entanto, aconteceu em seu próprio terreno. Em entrevista para a TV Record, quando falava sobre política públicas para diminuir casos de feminicídio, o tucano se confundiu. “Eu convidei a senadora Kátia Abreu para vice. Digo, a senadora Ana Amélia“, escorregou.

Apesar das duas serem senadoras e atuarem no campo do agronegócio, Ana Amélia Lemos (PP) e Kátia Abreu (PDT) estão em lados opostos nessa eleição. A senadora pelo Rio Grande do Sul assumiu como vice na chapa de Alckmin após acerto dos partidos que compõem o centrão. Já a senadora por Tocantins e ex-ministra da Agricultura, forma a chapa como vice de Ciro Gomes do PDT.

Na mesma entrevista, o tucano falou sobre reforma política, propôs a diminuição do número de partidos, e, pela primeira vez, defendeu o voto facultativo. “É preciso mudar o modelo político. Eu defendo o voto facultativo. O voto é um direito das pessoas, não deve ser obrigatório”, disse.

Alckmin ainda defendeu a redução de ministérios. Sem revelar as pastas, disse que, se eleito, deve acabar com 10 ministérios e dar mais poder ao Ministério da Fazenda.