Amoêdo: Sociedade deve procurar por ‘diálogo e equilíbrio’

  • Por Jovem Pan
  • 07/09/2018 10h16 - Atualizado em 07/09/2018 10h25
João AmoêdoO candidato à presidência da República João Amoêdo (Novo)

O candidato à presidência da República João Amoêdo (Novo) afirmou nesta sexta-feira, 7, ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, que o ataque ao seu concorrente Jair Bolsonaro (PSL), é um “alerta” para a sociedade. “Tem que fazer política discutindo princípios e valores, mas nunca descambando para violência e extremismo. Não tem sentido ter uma sociedade que caminhe para uma divisão tão grande”, disse.

Segundo Amoêdo, com a apreensão e insegurança deste momento, as pessoas podem procurar por soluções mais extremas, mas que o ideal é “justamente o contrário”. “É trazer de volta o diálogo e o equilibrio do processo”, afirmou ele.

O candidato do Novo disse ainda que sua campanha continuará com o mesmo discurso, “pregando o equilíbrio”, o que, de acordo com ele, não signifcia não ter firmeza. “Essa firmeza tem que ser no campo das ideias”. “A nação precisa ser reconstruída e acredito que essa mudança passa por uma sociedade mais unida, que foi muito divida e continua a ser”.

Bolsonaro foi esfaqueado na barriga na tarde desta quinta-feira durante um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele precisou passar por uma cirurgia porque o ataque causou uma lesão em uma veia do abdomen, três perfurações no intestino delgado e uma no intestino grosso.

Ele deve ficar de sete a dez dias internado. Na manhã desta sexta, o presidenciável foi transferido para São Paulo, onde deve ficar internado no Hospital Albert Einstein. Até então, ele estavan Santa Casa de Juiz de Fora.

Até agora, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso. Outro homem está sob investigação da Polícia Federal.