Bolsonaro usa Mr. Catra no Pânico para justificar fala sobre escravidão

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2018 12h23 - Atualizado em 02/08/2018 12h43
Rafael Souto / Jovem PanMr. Catra é contra o sistema de cotas raciais

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) divulgou uma montagem de vídeos em seu Twitter em que combina fala dele ao programa Roda Viva sobre a escravidão a uma opinião semelhante do funkeiro Mr. Catra durante entrevista ao Pânico da Jovem Pan.

No programa da TV Cultura, Bolsonaro negou a dívida histórica do Brasil com os negros. “Mas que dívida? Eu nunca escravizei ninguém na minha vida”, disse. “Se for ver a história realmente, o português nem pisava na África. Os próprios negros que entregavam os escravos. (Os portugueses) faziam o tráfico, mas não caçavam os negros na costa. Eram entregues pelos próprios negros”, afirmou o candidato à Presidência.

Catra foi pela mesma linha quando falou à Jovem Pan em março do ano passado. “Queria deixar bem claro que, na realidade, não foi o branco que escravizou o preto. Foi o negro que escravizou o negro e vendeu pro branco na costa”, disse o músico. “Muita gente nobre veio para cá escravizada”.

Assim como Bolsonaro, Catra se disse contra o sistema de cotas raciais.

“Negro não precisa de cota, acho que a gente é igual”, afirmou. Para o funkeiro, a existência de um Dia da Consciência Negra é uma forma de racismo da sociedade: “tinha quer ter dia da consciência oriental, dia da consciência do índio, do branco, de todo mundo”.

“Eu vim escravizado? Eu vim vendido pelo negro e salvo pelo branco, e aí? E hoje em dia eu sou rei, e aí?”, finalizou Catra.

Veja a postagem de Bolsonaro, que, ao chancelar a opinião de Catra, usou um versículo bíblico: “e conhecereis a verdade, e a Verdade os libertará”.

Relembre o trecho da entrevista com Mr. Catra:

Acompanhe a cobertura completa das eleições 2018!