Carlos Langoni analisa resposta do mercado após 1º turno: ‘É hora do Brasil dar uma guinada liberal’

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2018 16h03
EFEPara Carlos Langoni, o mercado foi surpreendido pelo resultado expressivo das urnas

Em entrevista ao Jornal Jovem Pan desta segunda-feira (8), o ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni comentou a resposta do mercado ao resultado do primeiro turno das eleições. Para ele, a vitória parcial de Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT) animou os investidores.

O mercado de fato foi surpreendido pelo resultado, foi mais expressivo do que se antecipava”, disse Langoni. O economista destacou que o fato do partido de Bolsonaro ter conseguido eleger um bom número de parlamentares foi decisivo para essa animação. “Isso diz respeito à governabilidade e à viabilidade de implementação de um programa liberal que o mercado sabe que é necessário para o país, um ajuste fiscal contundente, rápido e eficiente”, explicou. “Os resultados mostraram que há maior possibilidade do plano de Paulo Guedes ser implementado e que há uma base de apoio capaz de tirar o Brasil dessa situação de estagnação.”

Langoni também elogiou o programa econômico de Paulo Guedes, que deverá ser o ministro da Fazenda se Bolsonaro for eleito. “O programa é interessante, é hora do Brasil dar uma guinada liberal. Não é uma opção ideológica, é uma opção pragmática”, afirmou. “A linha do Paulo Guedes é totalmente adequada ao momento brasileiro, é a única opção que nós temos para tirar o Brasil da estagnação.”

Para que as ideias deem certo, o economista frisou que as reformas da previdência e tributária precisam sair do papel. “É fundamental implementar as reformas, inclusive da previdência, o mais rápido possível. O mercado espera a aprovação de uma reforma inicial ainda neste ano”, disse, apostando em uma negociação entre o futuro governo, seja de Bolsonaro ou de Haddad, e o governo de Michel Temer.

Apesar de toda a euforia do mercado, Carlos Langoni destacou que ainda não há nada definido e o segundo turno representa uma nova eleição. “O mercado está se ajustando mais rápido do que imaginamos, o câmbio está chegando próximo ao que seria um nível razoável de equilíbrio para essa transição política, a bolsa está chegando próximo dos 90 mil pontos. O mercado está muito próximo daquilo que é razoável”, disse. “Mas também vamos sentir de maneira mais clara qual é a alternativa econômica que o Fernando Haddad oferece ao país. Há muita coisa para acontecer”, lembrou o economista.

Veja abaixo a entrevista de Carlos Langoni ao Jornal Jovem Pan: