#DebateBand: 1º bloco tem Álvaro Dias perdido e confronto direto Alckmin x Marina

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2018 22h47 - Atualizado em 09/08/2018 23h00
NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDOCandidatos à presidência participam do primeiro debate de 2018, promovido pela TV Bandeirantes

Nesta quinta-feira (9), a TV Bandeirantes promove o primeiro debate entre candidatos à presidência da República em 2018.

O primeiro bloco do debate foi marcado por uma “discussão” entre Guilherme Boulos (PSOL) e Jair Bolsonaro (PSL). Em sua fala inicial, o candidato do PSOL deu boa noite a Lula e relembrou que o ex-presidente, preso em Curitiba, deveria estar lá na bancada.

Após as apresentações, Boulos iniciou a etapa de perguntas entre candidatos e escolheu e questionou o ex-capitão do Exército sobre uma suposta funcionária fantasma em seu gabinete.

Na sequência, Bolsonaro  disse que “pensou que estava lá para discutir política” e enalteceu que a “Val”, como fora chamada por Boulos, é uma humildade senhora e trabalhadora. O candidato do PSL atacou Boulos ao dizer que não era de “invadir propriedade privada”. Já o líder dos sem-teto enfatizou que Bolsonaro, assim como todos os outros, representa a velha política corrupta.

Na sequência, Ciro Gomes (PDT) indagou Geraldo Alckmin (PSDB) sobre a atual reforma trabalhista e questionou se ele manteria o atual modelo, que fora aprovado pelo governo Temer. Alckmin defendeu que o antigo sistema era um verdadeiro “cartório”, com 17 mil sindicatos no Brasil. O tucano enfatizou ainda que a mudança na reforma trabalhista é absolutamente necessária.

Em seguida, Alckmin e Marina Silva (Rede) protagonizaram uma verdadeira “tabelinha”. A candidata da Rede criticou o ex-governador paulista pelo aliança com o Centrão e por se apegar no discurso de “devolver Brasil aos brasileiros”. O tucano rebateu ao afirmar que a aliança foi firmada para garantir a governabilidade.

O primeiro bloco foi marcado ainda pela falta de atenção do candidato Alvaro Dias (Podemos). O senador se perdeu durante sua “apresentação” pessoal, estourou o tempo de 1’30’’ e não respondeu ao primeiro questionamento sobre emprego. Por diversas vezes, o mediador, o jornalista Ricardo Boechat, alertou aos candidatos para que ficassem atentos com o tempo de pergunta.