Guilherme Boulos: ‘Estou processando muita gente que inventou a mentira que o MTST cobra aluguel’

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2018 14h37
Jovem PanCandidato do PSOL esteve no programa Pânico

Guilherme Boulos (PSOL) participou nesta sexta-feira (28) de mais uma entrevista da série de sabatinas com presidenciáveis feita pelo Pânico. Um dos assuntos mais debatidos foi sua liderança à frente do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto). Questionado sobre denúncias de cobrança ilícita de aluguel e invasões de propriedades privadas, o candidato defendeu a atuação do grupo e negou que tenham cometido esses atos.

“A sociedade está doente. A internet virou uma fábrica de memes, o que tem um lado divertido e também um lado perverso. Muitos aqui podem ter sido vítimas disso. Eu estou tendo que processar muita gente porque inventaram a história de que o MTST cobra aluguel. Isso é uma mentira deslavada, absurda, que ‘virou verdade’. Inventaram recentemente também que meu pai tem uma mansão na Aclimação”, disse.

Os apresentadores citaram aqui as denúncias existentes, por exemplo, no caso da ocupação do prédio que desabou em maio deste ano no Largo do Paissandu, região central de São Paulo. O presidenciável confirmou que existem indícios de extorsão naquele movimento, mas garantiu que seu grupo nunca esteve ali.

“Aquela ocupação não era organizada pelo MTST. Existem centenas de movimentos no país e cada um tem seus critérios. Ao que parece, naquele caso, tinha gente explorando a miséria. Tanto que os organizadores vazaram. Nós nunca fizemos isso. Alguém que está nessa situação não tem como pagar nada! As pessoas têm a ideia de que quem ocupa é por que quer. É fácil chamar quem entra em um prédio abandonado de vagabundo. Difícil é se colocar no lugar (…). O MTST jamais, em 20 anos de história, cobrou de qualquer família. As ocupações estão abertas para quem quiser ver”, convidou.

“Oportunista tem em todo canto. Acho que vocês devem conhecer no jornalismo. No movimento social tem. No Congresso tem. Temos que separar as coisas. Se tem prova, tem que punir. Isso se chama extorsão e quem faz tem que ser punido. Só não podemos julgar por um caso todo mundo que luta de maneira séria”, completou.

Em relação às propriedades privadas, repetiu mais uma vez o que tem dito sobre o tema. De acordo com ele, o MTST “nunca ocupou a casa de ninguém”. “Acham que a gente vai chegar lá e dividir seu quarto no meio. Isso é o maior mito que existe. O MTST só ocupa terreno que está abandonado há muito tempo, devendo IPTU ‘a dar com o pau’. Gostamos tanto de propriedade privada que queremos que todo mundo tenha a sua”, concluiu.

‘Bolsonaro é um bandido’

Durante a conversa, o presidenciável ainda opinou sobre alguns de seus concorrentes de disputa – ironizando, por exemplo, Henrique Meirelles (MDB). “Nunca vi um bancário com R$ 300 milhões de patrimônio. Ele é um feito do empreendedorismo”, disparou. Com Jair Bolsonaro (PSL), as críticas foram mais fortes. “Ele é um criminoso. Um bandido. Um cara que cometeu crime de racismo, apologia ao estupro, apologia à tortura e deve ser julgado”.

Sua relação próxima com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um homem que “merece respeito”, segundo ele, também foi discutida na sabatina. Todos os vídeos podem ser vistos no canal do Pânico do YouTube.