Haddad fala em ‘unir os democratas do Brasil’ contra ‘ameaças’ do 2° turno

  • Por Jovem Pan
  • 07/10/2018 21h45
EFE"Achamos que há muita coisa em jogo em 2018", disse o candidato

Fernando Haddad (PT) fez um breve pronunciamento por volta das 21h30 deste domingo (7) logo após a divulgação do resultado do primeiro turno das eleições presidenciais deste ano. Ao lado da vice de sua chapa, Manuela D’Ávila (PCdoB), e de sua esposa, Ana Estela, o petista agradeceu os militantes e “a maior liderança do partido”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e disse que o segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL) representa uma oportunidade de “unir os democratas do Brasil”.

“Me sinto extremamente honrado pelos votos que recebi hoje. Me sinto desafiado pelos resultados bastante expressivos no sentido de nos fazer atentar para os riscos que a democracia corre. Essa é uma oportunidade inestimável que o povo nos deu e precisamos saber aproveitar com sobriedade e senso de responsabilidade. Queremos unir os democratas do Brasil. Queremos unir pessoas que têm atenção aos mais pobres do país. Além disso colocamos a soberania nacional e popular, dois conceitos irmãos, acima de qualquer outro interesse”, disse.

“Achamos que há muita coisa em jogo em 2018. É uma eleição muito diferente de todas que participamos. Coloca muita coisa em jogo, em risco. O próprio pacto da Constituinte está em jogo em função das ameaças que sofre quase diariamente. Queremos enfrentar esse debate muito respeitosamente. Vamos para o campo democrático com uma única arma: o argumento. Não portamos armas. Vamos com a força do argumento para defender o Brasil e seu povo. Sobretudo os mais sofrido do país”, completou.

Por fim, o candidato contou que pouco antes do discurso conversou por telefone com três de seus concorrentes, Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL). Não confirmou, no entanto, se já articulam algum tipo de apoio.