Jandira Feghali chama Bolsonaro de ‘assassino’ no Twitter, mas depois apaga publicação

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2018 13h13 - Atualizado em 19/10/2018 13h28
Antônio Augusto/Agência CâmaraNo fim da noite desta quinta, a deputada posicionou-se quanto ao uso do termo “assassino” e atribuiu a responsabilidade à sua equipe

Após uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (18) apontar suposta compra de pacotes ilegais de envios de mensagens contra o PT por parte da campanha de Jair Bolsonaro, políticos contrários ao candidato reagiram. Entre eles, a deputada federal eleita pelo Rio de Janeiro Jandira Feghali.

Entre diversas postagens no Twitter, a representante do PCdoB na Câmara dos Deputados repudiou o suposto envolvimento de Bolsonaro no caso. “Grande esquema com financiamento empresarial, que é proibido por lei, por contratos milionários para atingir milhões de pessoas para contaminar o voto contra o PT. Com jogo sujo o Bolsonaro quer governar o país. Este assassino tem ter a candidatura impugnada [sic]. #Caixa2doBolsonaro”, escreveu no dia em que a reportagem foi publicada.

Horas depois, o candidato do PSL à Presidência replicou um print da mensagem escrita por Feghali: “O vale tudo dos desesperados! A comunista Jandira Feghali (PCdoB-RJ) agora me chama de assassino! Esses são os verdadeiros fabricantes de fakenews! [sic]”.

Em uma segunda postagem, Bolsonaro escreveu: “Tomaremos as medidas cabíveis e aconselho todos que são acusados injustamente de barbaridades a fazerem o mesmo!”.

No fim da noite desta quinta, a deputada posicionou-se quanto ao uso do termo “assassino” e atribuiu a responsabilidade à sua equipe. “ATENÇÃO Minha equipe usou, erradamente, um tweet sobre Bolsonaro com termo ‘assassino’. Não autorizei esse tipo de mensagem e por isso foi apagado”.

Confira abaixo a sequência de postagens: