Lula reclama de não poder gravar vídeo na prisão: “querem me calar”

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2018 12h02 - Atualizado em 19/07/2018 12h06
EFE/Antonio LacerdaDe helicóptero, ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega à sede da Polícia Federal em Curitiba após ser preso em 7 de abril

Em nova mensagem veiculada pelo PT nesta quinta-feira (19), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou da proibição de gravar vídeos para sua pré-campanha à Presidência desde a sala em que é mantido preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. Condenado a 12 anos de prisão em duas instâncias no caso tríplex da Lava Jato, Lula está preso desde 7 de abril.

No “artigo” denominado “Afaste de mim este cale-se”, em referência a música de Chico Buarque feita no contexto da Ditadura Militar, o ex-presidente encarcerado cita nominalmente a magistrada responsável pela execução de sua pena.

“Semana passada, a juíza Carolina Lebbos decidiu que não posso dar entrevistas ou gravar vídeos como pré-candidato do Partido dos Trabalhadores, o maior deste país, que me indicou para ser seu candidato à Presidência. Parece que não bastou me prender. Querem me calar”, declarou.

O petista voltou a afirmar que foi preso “sem provas”. “Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?”, questionou o ex-presidente, que tem se manifestado constantemente em notas divulgadas pelo PT. Relembre algumas das provas apresentadas pelo Ministério Público no caso tríplex.

Lula apela a uma frase de Cármen Lúcia proferida durante discussão sobre ação sobre as biografias não autorizadas, em que a atual presidente do STF citou o ditado popular “cala boca já morreu”.

“Eu sou candidato porque não cometi nenhum crime”, voltou a garantir Lula.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso tríplex, em que é acusado de ter recebido propina da OAS por meio da reforma de um apartamento no Guarujá, que seria destinado a ele e sua família, em troca de influência por benefícios em contratos da empreiteira com a Petrobras. A dosimetria da pena foi aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) para 12 anos e um mês de cadeia. Lula responde a mais seis processos após ter sido absolvido em um deles.

Impeachment

Lula também citou o impeachment de Dilma Rousseff em comparação a sua situação jurídica e citou o presidente Michel Temer.

“Falo isso com a mesma seriedade com que disse para Michel Temer que ele não deveria embarcar em uma aventura para derrubar a presidente Dilma Rousseff, que ele iria se arrepender disso. Os maiores interessados em que eu dispute as eleições deveriam ser aqueles que não querem que eu seja presidente”, afirma a carta atribuída a Lula.

Veja aqui o artigo completo de Lula, que foi publicado no jornal Folha de S. Paulo.

Marco Antonio Villa comentou, no Jornal da Manhã, o conteúdo do artigo:

Confira a cobertura completa das eleições 2018!