Não teria nenhum problema em manter Ilan no BC, diz Bolsonaro

  • Por Estadão Conteúdo
  • 17/04/2018 19h31
Valter Campanato/Agência BrasilPresidenciável pelo PSL disse que pretende anunciar seus futuros ministros antes de ser eleito e os tratará seguindo regras militares

Segundo colado nas pesquisas de intenção de voto para disputa presidencial, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) disse nesta terça-feira (17) que não teria problema em manter o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, no cargo. Ele ponderou, contudo, que quem decidirá o comando da autoridade monetária do País será o economista Paulo Guedes, seu futuro ministro da Fazenda e do Planejamento.

“Quem vai manter ou não lá chama-se Paulo Guedes. É o economista que está conversando comigo, já tivemos meia dúzia de reuniões, ou sete. Ele é para Fazenda e Planejamento. É um só ministério, para não ter briga. É ele quem vai indicar, ele que conhece”, afirmou Bolsonaro a um pequeno grupo de jornalistas. “Ele (Guedes) gosta do Ilan, eu sei disso. Não tenho problema com ninguém. Quero que a máquina funcione”, acrescentou.

O presidenciável pelo PSL disse que pretende anunciar seus futuros ministros antes de ser eleito e os tratará seguindo regras militares. “Vou dar uma de militar: você paga a missão e o cara tem que cumprir a missão. Qual é a missão do Paulo Guedes? Inflação baixa, taxa Selic baixa, sem canetaço, é o dólar que não prejudique quem quer exportar nem quem quer importar, é o tripé macroeconômico”, disse o parlamentar fluminense.

Bolsonaro afirmou que seus ministros terão autonomia para tomar decisões, principalmente nas áreas que ele não entende. “Não entendo de economia, assim como não entendo de medicina. Para que vou dar peruada na medicina? Quero escolher um cara que entenda de medicina e faça boa gestão”, declarou. “Quero ir para praia sábado e domingo. Sei que é difícil. Se conseguir domingo, está bom. É uma força de expressão. Quero que a máquina funcione “