Paraná Pesquisas: Bolsonaro amplia vantagem em SP; Haddad e Alckmin empatam em 2º

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2018 07h40 - Atualizado em 03/10/2018 07h40
Montagem / Divulgação / Reprodução FacebookBolsonaro ampliou sua vantagem entre os eleitores paulistas, enquanto Haddad e Alckmin tiveram ligeiras quedas

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) ampliou sua vantagem na disputa entre os eleitores do Estado de São Paulo, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Paraná em parceria com a Jovem Pan, divulgada nesta quarta-feira (3). O militar da reserva, que estava com 30,4% no último levantamento, aparece na semana que antecede o primeiro turno das eleições presidenciais com 35,7%.

Bolsonaro é seguido por Fernando Haddad (PT), que tem 14,1% das intenções de voto dos eleitores de São Paulo, contra 14,7% em relação ao último levantamento. O ex-prefeito da capital paulista se encontra tecnicamente empatado com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), que agora aparece com 12,6% – o tucano tinha 14,4% na pesquisa anterior.

00

Mais distante do trio está o candidato do PDT, Ciro Gomes, 5,7% – ele tinha 7,9% no último levantamento, e João Amoedo (Novo), com 5,6% – o candidato tinha 4,4% na pesquisa passada. Ele deixou para trás Marina Silva (Rede), que aparece com 3,7% das intenções de voto – a ex-senadora aparecia com 5% no levantamento anterior.

No último pelotão estão Alvaro Dias (Podemos), que alcança 1,6%, mesmo número de Henrique Meirelles (MDB). Cabo Daciolo (Patriota) tem 1,2% das intenções de voto, enquanto os demais candidatos, Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) marcam menos de um ponto percentual. 12,6% dos entrevistados disseram não optar por nenhum dos candidatos e 4,8% estão indecisos.

O levantamento feito pelo Instituto Paraná em parceria com a Jovem Pan ouviu 2002 eleitores em 84 municípios do Estado de São Paulo, entre os dias 29 de setembro a 2 de outubro. O nível de confiança da pesquisa é de 95% para uma margem de erro de aproximadamente 2% para mais ou para menos.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº BR-04011/2018.