Presidente do PSL nega que Bolsonaro tenha feito acordo com Maia para adiantar votações

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2018 17h51
Wilton Junior/Estadão ConteúdoGustavo Bebianno, presidente do PSL, falou com a imprensa hoje, no Rio de Janeiro

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, negou nesta terça-feira (23) que o candidato à presidência pelo partido, Jair Bolsonaro, tenha feito algum acordo para adiantar a aprovação de projetos com o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). Segundo ele, também não há conversa para um possível apoio à reeleição de Maia.

“Acredito que o presidente da Câmara não esteja preocupado com aquilo que seja do interesse do candidato Jair Bolsonaro, e sim com o que seja do interesse do Brasil. Vamos esperar o resultado da eleição”, afirmou, antes de acompanhar o presidenciável na gravação de programas para o horário eleitoral na casa do empresário Paulo Marinho, no Rio de Janeiro.

De acordo com Bebianno, caso vença o pleito do próximo domingo (28), Bolsonaro vai anunciar uma equipe de transição composta por 52 pessoas. O grupo deverá seguir para Brasília já na próxima semana. “O dia exato ainda não está definido.”

Críticas a Haddad

Em entrevista, o presidente do PSL reiterou críticas ao candidato do PT à presidência. “Haddad está completamente desequilibrado, coitado”, disse, em reação à acusação de tortura repercutida hoje contra o vice da chapa de Bolsonaro, general Hamilton Mourão.

A acusação foi feita pelo cantor e compositor Geraldo Azevedo durante show na Bahia, no último fim de semana. Mourão disse que vai processar o músico, que recuou da declaração. Durante entrevista coletiva, Fernando Haddad reconheceu o erro. Na época em que o crime teria acontecido, o general era adolescente.

*Com informações do Estadão Conteúdo.